Share Button
Estudos Bíblicos

Sofrimento: Consequência dos Nossos Próprios Erros

A noção de karma, vinda de religiões orientais, sugere uma consequência igual ao ato, mesmo se vier só em outra vida (conforme a crença na reencarnação). A teologia da prosperidade, dominante em muitas igrejas evangélicas, também defende a noção de prosperidade conforme a bondade e sofrimento conforme a maldade da própria pessoa. Os “amigos” que debatiam os motivos do sofrimento de Jó defendiam a mesma tese, afirmando que todo sofrimento seria a consequência do mal feito pelo sofredor. Eles, como os outros citados, não falaram a verdade sobre Deus (Jó 42:7). Como observamos em artigos anteriores, o sofrimento pode ser consequência da maldade específica dos outros ou resultado da corrupção geral do mundo pelo pecado no Éden. O sofrimento não é, necessariamente, consequência da maldade do sofredor.

É errado atribuir todas as angústias à maldade do sofredor, mas seria igualmente errado ignorar o fato que nossos erros podem trazer sofrimento na nossa vida. Consideremos alguns exemplos.

Pedro entendeu a diferença entre sofrimento justo e injusto: “Pois que glória há, se, pecando e sendo castigados por isso, vocês o suportam com paciência? Se, entretanto, quando praticam o bem, vocês são igualmente afligidos e o suportam com paciência, isto é agradável a Deus” (1 Pedro 2:20; compare 1 Pedro 4:14-16).

Sofrimento por causa dos nossos próprios pecados pode assumir mais de uma forma.

Deus estabeleceu ordem no mundo (física, biológica, social etc.), e violações dessa ordem podem resultar em consequências naturais (ferimentos, doenças, morte etc.). “A desgraça persegue os pecadores, mas os justos serão recompensados com o bem” (Provérbios 13:21). Neste sentido, quem abusa do álcool sofre (Provérbios 23:29-30), os violentos se tornam vítimas da violência (Provérbios 21:7), os preguiçosos passam fome (Provérbios 21:25; 24:30-34), e os invejosos se afundam em dívidas (Provérbios 28:22).

Sofrimento, às vezes, vem como castigo divino. Temos observado que não há um vínculo universal e absoluto entre a maldade da pessoa e seu próprio sofrimento, mas não devemos ignorar casos bíblicos de pessoas que pecaram e sofreram as consequências (alguns exemplos: Levítico 10:1-3; Números 20:12; 2 Samuel 6:7; Atos 5:1-11). Seja nesta vida ou na eternidade, ceifaremos o que semeamos (Gálatas 6:7).

Não é o caso de todo sofrimento, mas algumas dores vêm como consequências dos nossos próprios pecados.

-por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA