Share Button
Estudos Bíblicos

Salmo 146: O SENHOR Levanta os Abatidos

Possivelmente escrito na época do retorno dos hebreus do exílio na Babilônia, o Salmo 146 é um rico hino de adoração ao Senhor. O cântico começa e termina com a exclamação “Aleluia!” (louvado seja o Senhor). Sua mensagem avança de uma declaração particular de adoração à instrução aos leitores a confiarem exclusivamente em Deus, seguida por vários motivos que mostram sua dignidade de ser louvado. Entendido no contexto das experiências dos judeus na Babilônia e depois de voltar para Jerusalém, essas declarações se tornam especialmente importantes.

O autor anônimo abre o hino com sua própria promessa de louvor ao Senhor por toda a sua vida: “Aleluia! Louva, ó minha alma, ao SENHOR. Louvarei ao SENHOR durante a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto eu viver” (versos 1 e 2). Não importa em que terra, século ou circunstância vivemos, todos nós fomos criados com o propósito de honrar o nosso Criador durante a vida aqui e por toda a eternidade. A impressionante cena celestial de Apocalipse 4 e 5 apresenta o céu como ambiente de adoração incessante a Deus. Que busquemos nosso lugar naquele coro celestial!

“Não confieis em príncipes, nem nos filhos dos homens, em quem não há salvação. Sai-lhes o espírito, e eles tornam ao pó; nesse mesmo dia, perecem todos os seus desígnios” (versos 3 e 4). Antes de serem levados à Babilônia, os judeus haviam debatido sobre alianças políticas e militares, enquanto profetas como Isaías e Jeremias imploraram para eles confiarem em Deus. Esses versos ficam em contraste com o resto do hino, que fala dos motivos de confiar no Senhor.

“Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, cuja esperança está no SENHOR, seu Deus, que fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e mantém para sempre a sua fidelidade. Que faz justiça aos oprimidos e dá pão aos que têm fome” (versos 5 a 7). Quando falamos sobre as bem-aventuranças, expressões que significam felicidade espiritual, normalmente pensamos sobre as palavras de Jesus na abertura do Sermão do Monte (Mateus 5:3-12). Essa linguagem, porém, é muito comum nos Salmos, aparecendo em quase 20 desses hinos. Neste caso, o salmista declara o lado positivo da bem-aventurança que inicia o livro: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores” (Salmo 1:1).

Em defesa dessa afirmação da felicidade daqueles que confiam em Deus, o autor continua com uma série de declarações sobre a compaixão do Senhor para com as pessoas que parecem infelizes: “O SENHOR liberta os encarcerados. O SENHOR abre os olhos aos cegos, o SENHOR levanta os abatidos, o SENHOR ama os justos. O SENHOR guarda o peregrino, ampara o órfão e a viúva, porém transtorna o caminho dos ímpios” (versos 7 a 9). É difícil achar felicidade nas circunstâncias descritas nesses versos. No mundo, os encarcerados, cegos, abatidos, órfãos e viúvas não são vistos como felizes e abençoados. Mas a perspectiva do Salmista é outra. Ele entende que, mesmo quando o mundo despreza essas pessoas e vira as costas, o Criador do Universo se preocupa com elas. A felicidade não está nos homens fortes, nem em ser visto como forte pelos homens. A vida abençoada é da pessoa que confia no Senhor em todos os momentos e em todas as circunstâncias.

“O SENHOR reina para sempre; o teu Deus, ó Sião, reina de geração em geração. Aleluia!” (verso 10). O eterno Deus permanece em contraste total aos homens poderosos descritos nos versos 3 e 4. Eles morrem e seus trabalho e projetos morrem com eles, mas Deus reina para sempre.

Sião, o monte do templo em Jerusalém, representava simbolicamente o trono de Deus. Enquanto as grandes cidades dos impérios da época tinham seus diversos deuses, o verdadeiro domínio pertencia e ainda pertence ao único verdadeiro Deus. O eterno Rei adorado pelos judeus em Jerusalém é o mesmo que continua reinando hoje e para sempre. Séculos depois da composição desse Salmo, o apóstolo João registrou as palavras do Senhor: “’Eu sou o Alfa e o Ômega’, diz o Senhor Deus, ‘aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso’” (Apocalipse 1:8).

Louvado seja Deus para toda a eternidade!

-por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA