Share Button

A Lealdade de um Cachorro

Cães têm a boa fama de serem os melhores amigos do homem. Donos desses animais de estimação afirmam o prazer da sua companhia. Embora seja um animal guiado por instintos e não por livre arbítrio, um cachorro bem tratado e adestrado demonstra comportamentos dignos de imitação.

Sou uma das pessoas que gostam de cachorros, e as lições práticas desse artigo foram inspiradas por Khayla, uma cadela de Pastor Alemão, agora avó, que vive conosco desde dois meses de idade. A nossa boa convivência com ela depende do entendimento de limites e do respeito pela autoridade dos donos. Um dos limites definidos é a soleira da casa. Ela tem a liberdade de brincar no quintal. Providenciamos abrigo, água, comida e outras coisas necessárias para seu conforto e a segurança, mas ensinamos desde pequena que a casa é nossa. Ela pode chegar até a porta e enfiar a cabeça para verificar que estamos perto, mas uma pata colocada na soleira já é uma ofensa contra os donos que traz uma correção imediata.

Ontem, a minha mulher tirou um pacote de carne do freezer e o deixou descongelando para usar no almoço hoje. O pacote passou a noite bem do lado da pia, a menos de um metro da porta da cozinha. Hoje cedo, sai para cuidar de algumas coisas no quintal, e a Khayla, sempre uma companheira fiel, ficou do meu lado o tempo todo. Quando voltei para casa, entrei pela porta da cozinha e deixei a porta aberta.

Reflita sobre o tamanho dessa tentação. Talvez um pedaço de carne crua não chamaria nossa atenção, mas é um dos alimentos preferidos por cães. E a Khayla nem precisava ver essa carne, pois o olfato canino é muito agudo. É por esse motivo que cães servem para encontrar pessoas perdidas e para identificar frutas e drogas nas malas que passam pela alfândega. Tenho certeza absoluta que a Khayla sentiu o cheiro da carne que pretendemos comer no almoço hoje.

Ela colocou as duas patas no degrau que leva até a porta (do lado de fora). Enfiou a cabeça na cozinha, e ficou olhando. Não levantou a pata para tocar na soleira. Olhou para mim, e respeitou perfeitamente a “regra” ensinada ao longo dos anos da vida dela.

Admirei a cadela. Quantas vezes eu tenho encarado situações parecidas, sem demonstrar o mesmo respeito para com o meu dono, o Criador do universo? Quando percebo algo agradável que oferece prazer e gratificação, tenho o mesmo domínio próprio para resistir à tentação? O primeiro pecado humano foi tomar o fruto “agradável aos olhos”, desrespeitando a proibição dada pelo Criador (Gênesis 3:6; 2:17). Uma das qualidades fundamentais no nosso crescimento espiritual é o domínio próprio (Gálatas 5:23; 2 Pedro 1:6). Esse controle nega nossos desejos pela decisão de obedecer a Deus.

A experiência com a Khayla não acabou por aí. Eu me afastei da porta, e escolhi um lugar onde eu poderia observar o comportamento dela, sem ela me ver. Fiquei quieto e olhei para ver o que ela faria. Eu sabia que ela seria obediente enquanto eu estava perto, pois a consequência seria imediata. Se ela cruzasse a linha na minha frente, eu gritaria “Não” e iria na direção dela para expulsá-la da casa. Sabendo disso, ela não entraria na minha presença. Ela passou no teste. Mesmo sem ver o dono, ela continuou do lado de fora só olhando para dentro.

Há casos nos quais as consequências da desobediência são imediatas. Até quando se trata das leis naturais estabelecidas por Deus, aprendemos a respeitá-las para evitar sofrimento. Quem desrespeita a lei da gravidade sente dor, ou pode até morrer. Desobediência das leis espirituais podem trazer consequências imediatas, mas nem sempre acontece. Em muitos casos, Deus deixa o homem livre para agir na rebeldia durante a vida toda, sem consequências evidentes. Um animal leal respeita os procedimentos ensinados, mesmo na ausência do seu dono. Quantas vezes nós pecamos, esquecendo que o nosso “dono” está observando, mesmo quando não conseguimos vê-lo? Não nos enganemos, pois Deus está olhando: “E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas” (Hebreus 4:13). Podemos aprender muito dos nossos cachorros!

-por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA