Share Button

Os Salmos Messiânicos (2)
(Vários)
por L. A. Stauffer

Cânticos de Sião, escritos e compostos por salmistas sobre o Messias, são cânticos de esperança.  Os cantores escreveram e cantaram a tragédia, a rejeição e a morte do Ungido de Deus, porém não o desespero.  Além do "pó da morte" estão as expectativas de um rei triunfante que será um sacerdote sobre seu trono.

Esperança e Ressurreição

Os salmistas viram a alma do Messias partir para o reino invisível do Sheol e sua carne descer à sepultura.  Mas nem seu espírito, nem seu corpo permaneceriam entre os mortos (Salmo 16:10).

Os salmistas também viram o Ungido rejeitado por seus pares, como uma pedra inadequada, rejeitada pelos construtores; entretanto, uma pedra que se tornou a principal pedra angular ­ uma fundação para a casa espiritual de Deus e uma rocha de ofensa que esmaga até o pó os desobedientes (Salmo 118:22-23; Mateus 21:42, 44; 1 Pedro 2:4-7).

Enquanto as nações, com seus governantes, se enfurecem contra o Messias, bradando por sua morte, Jeová ri deles.  Apesar da sentença de morte e da execução do Ungido, Deus o assenta em seu santo monte de Sião (Salmo 2:1-6).

A esperança dos salmistas encontra cumprimento na ressurreição do Santo de Deus. O apóstolo Pedro, no Pentecostes, apela para os Filhos de Coré, que cantaram a ressurreição, que nem foi deixado na morte, nem a sua carne viu a corrupção (Salmo 16:10; Atos 2:27-31). O apóstolo Paulo cita o mesmo salmo em Antioquia da Pisídia, para afirmar a ressurreição de Jesus, mas também chama Davi a testemunhar: "como também está escrito no Salmo segundo: Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei" (Salmo 2:7; Atos 13:33-37).

Ascensão e Reinado

Além da ressurreição, os cantores de Israel têm a visão do reinado do Messias.  Os salmistas, contudo, não o vêem como um domínio na terra, mas à mão direita de Deus. Jeová fala ao Senhor de Davi, o Messias e o rei que viria, sobre seu domínio no céu: "Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés" (Salmo 110:1)

Pedro emprega estas palavras de Davi para descrever a ascensão de Jesus aos céus, à direita de Jeová. Ali, o apóstolo conclui, ele foi feito "Senhor e Cristo" (Atos 2:33-36).  E Deus, do trono celestial, envia o cetro da sua força e o Senhor domina no meio de seus inimigos.  Ali, à direita de Deus, o ungido fere os reis "no dia da sua ira" (Salmo 110:5).

As nações se tornam a herança do Messias e as mais distantes partes da terra sua possessão.  Ele domina com o cetro de ferro e quebra as nações e as despedaça como um vaso de oleiro (Salmo 2:7-9).  O céu é o trono do Ungido através das eras, um cumprimento da promessa e aliança com Davi, de que um descendente dele se sentaria em seu trono para sempre (Salmo 89:3-4; 132:11).

No final, o Messias nasceu e ressuscitou dos mortos.  O Filho do Altíssimo, proclamou Gabriel no seu nascimento, receberá o trono de seu pai Davi, reinará sobre a casa de Jacó para sempre, e seu reinado não terá fim (Lucas 1:31-33).  Isto Deus cumpriu, de acordo com Pedro, quando elevou-o à sua direita, muito acima dos principados, potestades e domínios (Atos 2:30-36; veja Efésios 1:20-21).

Sacerdote e Intercessão

Davi, o doce cantor de Israel, prevê, como o faz o profeta Zacarias, o rei como um sacerdote em seu trono: "O Senhor jurou e não se arrependerá:  Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque" (Salmo 110:4; veja Zacarias 6:12-13)

Ele é um sacerdote que, primeiro de tudo, tinha a si mesmo para oferecer. Quando Jeová rejeitou os sacrifícios e não tinha mais prazer em oferendas queimadas, o Messias foi o voluntário:  "Eis aqui estou . . . agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu. . . ." (Salmo 40:7-8).  Jeová preparou-lhe um corpo no qual ele foi oferecido, de "uma vez por todas" pelos pecados do mundo (veja Hebreus 10:5-10; 9:23-26).

E, como um "sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque", seu sacerdócio é "imutável", baseado no poder de uma vida "indissolúvel"; ele vive "sempre para interceder" pelos santos (Hebreus 7:17, 24-25).

Os salmos messiânicos abrangem as eras eternais, vendo o Ungido como Deus que se tornou homem, como homem que foi tragicamente rejeitado e morto e como Senhor que foi exaltado aos céus de onde veio.  Ali, como rei e sacerdote, ele consuma o plano de Jeová para as eras.  Que história!  Que Salvador! E quão lindamente contada nos versos e composições dos antigos cantores em Israel.


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA