Share Button

O Salmo de Deus Pai e de Deus Filho
(Salmo 2)
por Robert F. Turner

O segundo Salmo é messiânico, como é atestado por diversas passagens do Novo Testamento.  Quando os governantes proibiram a pregação de Cristo, os irmãos de Jerusalém citaram o Salmo 2:  "Por que se enfurecem os gentios . . ." (Atos 4:25).  Esta passagem também aponta Davi como o autor do Salmo.  Paulo liga Cristo com este salmo em Atos 13:33; e o escritor de Hebreus cita-o com referência à superioridade de Cristo aos anjos (Hebreus 1:5), e em mostrar que Cristo era um sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (Hebreus 5:5-6).

Enquanto o Salmo 1 contrasta os indivíduos justos com os perversos, o Salmo 2 opõe as nações ímpias contra o reino de Deus, tanto físico como espiritual.  O Salmo é facilmente subdividido na base de vários oradores.  Primeiro, o poeta pergunta por que as nações se enfurecem contra Jeová (2:12); segundo, ele cita o desejo delas de escaparem das restrições, tanto de Jeová como de seu Ungido (2:3); então, terceiro, retrata Deus ridicularizando tais loucas tramas (2:4-5); e dizendo, quarto:  "Eu, porém, constituí o meu rei sobre o meu santo monte Sião" (6). No sentido físico e imediato, isto poderia se referir a Davi reinando sobre Israel; mas, como uma profecia messiânica, certamente se refere a Cristo (o "Ungido") reinando sobre seu reino espiritual.

Então, quinto, o próprio Filho fala do decreto:  "Ele me disse:  Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei" acrescentando mais promessas de que o Filho reinará sobre as nações, com poder para destruir seus inimigos.  O Salmo conclui, sexto, com o poeta exortando os reis e juízes da terra:  "Servi ao Senhor com temor" , e "Beijai o Filho para que não se irrite, e não pereçais no caminho" (veja Salmo 110).

O Salmo 2 apresenta o Ungido como o Filho de Jeová;  e tem Deus dizendo:  "Hoje, te gerei".  Entretanto, João identifica Jesus como "o Verbo", que estava "no princípio . . . e era Deus" (1 João 1:1; João 1:1); Jesus falou ao Pai da "glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo" (João 17:5); e Paulo diz que Cristo, antes de sua encarnação, "não julgou como usurpação o ser igual a Deus" (Filipenses 2:6).  Como pode um filho gerado coexistir eternamente com o Pai?  Para resposta, precisamos estudar o uso inspirado desta terminologia.

O Israel físico era chamado "filho" de Deus e "primogênito" (Êxodo 4:22), como o era Efraim (Jeremias 31:9).  Neste caso, os termos implicavam "o favorecido" ou "o exaltado," sem referência à genética.  Os leitores da Bíblia sabem que a "semente" de Davi seria chamada filho de Deus, e que reinaria para sempre (2 Samuel 7:11) encontrou seu cumprimento no reino espiritual de Jesus Cristo (Atos 2:29-30).  Ele era, na verdade, "segundo a carne . . . da descendência de Davi" mas "designado Filho de Deus com poder . . . pela ressurreição dos mortos" (Romanos 1:3-4).

Há uma relação entre a maneira da concepção de Maria (Espírito Santo, e poder do Altíssimo) e o nascimento de Jesus:  "o ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus" (Lucas 1:32-35).  Mas isto foi o princípio de sua encarnação (sendo vestido com carne), certamente não o seu princípio como divindade.  Já vimos que ele tinha glória com Deus antes da criação, e veio à terra como "Emanuel . . . Deus conosco" (Mateus 1:23).  Quando Paulo cita o Salmo 2 ("eu, hoje, te gerei") e relaciona "hoje" com a ressurreição (Atos 13:33), podemos concluir que ele se refere a "glorificação", "exaltação" e "posição favorecida" que acompanharam o cumprimento por Cristo de seu propósito no plano da redenção. Cristo perdoou pecados enquanto estava na terra (Marcos 2:5-12), e de muitos outros modos provou ser "Deus conosco".  Em seguida à sua ressurreição, a prova máxima, ele se tornou Rei, Sumo Sacerdote, e nosso Advogado junto ao Pai, e retornou ao seu lugar à direita de Deus no céu (João 17:5).

O Deus único da Bíblia é trino por natureza, cada um tendo papéis distintos e traços pessoais, entretanto sendo uno em propósito.  Davi era guiado por Deus, o Espírito Santo (Atos 5:34; Marcos 12:36) para escrever o Salmo 2 (Atos 4:25) a respeito de Deus Pai e de Deus Filho.  É tolice pensar que o homem pode sondar e "explicar" a divindade.  Precisamos esforçar-nos para entender a terminologia das Escrituras, aceitar o que ali está revelado, e preparar-nos para o dia quando Deus receber os fiéis e manifestar todas as coisas adicionais que ele deseja que conheçamos.


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA