Share Button

Os Salmos da Criação
(Salmos 8, 33)
por Dan Petty

Salmo 33:  Louvando a Deus como Criador e Soberano

Este hino triunfante abre com um chamado aos santos do Senhor para dar louvor a ele pela sua palavra e obra (33:1-4).  Eles devem usar todos os meios de expressão possíveis e adorá-lo com júbilo (33:3).  De tal adoração é digno alguém que é retratado por tais qualidades morais como, "fidelidade", "retidão", "justiça" e "bondade" (33:4-5).

Saber que tudo o que existe veio a ser criado do nada pela ordem de Deus é ser confrontado com a pura criação, e só por isso que Deus merece todo o louvor (Salmo 148:5; Hebreus 11:3).  Em linguagem figurada, o salmista descreve a obra criadora de Deus fazendo os oceanos, tão sem esforço como alguém encheria um jarro com água ou um depósito de água num "reservatório" (33:7; Gênesis 1:9-10).  Ele simplesmente "falou, e tudo se fez" (33:9).  Portanto, todos os habitantes da terra deveriam estar cheios de reverência e temor de sua poderosa força (33:8).

Deus é mais para sua criação do que seu Criador.  Ele também é o rei soberano, dominando todos os negócios dos homens.  Povos e nações e sua sabedoria ou servem os propósitos imutáveis de Deus ou acabam em nada (33:10-12; veja Isaías 44:25-28; 45:4-13).  Mas ele abençoa a nação que o serve.

Esta verdade é baseada no fato que Deus vê toda a atividade humana e, sendo o Criador dos homens, entende todos os planos e motivos humanos (33:13-15).  Tal percepção deveria lembrar-nos de que, como Deus é nosso Criador, ele também é aquele que julga até "os pensamentos e propósitos do coração" (Hebreus 4:12-13).

Nada pode salvar um homem ou uma nação, nem mesmo um poderoso exército ou grande força (33:16-17), fora de Deus.  Mas para aqueles que temem a Deus e confiam nele, ele é "nosso auxílio e escudo" (33:18-22), e louvamos nosso Criador como um Deus de benevolência.

Salmo 8:  O Que é o Homem?

"Ó Senhor, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome!"  Assim começa e termina o Salmo 8, o cântico de Davi em louvor a Jeová. Esta declaração de abertura e fechamento é o tema principal do salmo, e Davi vê a evidência da majestade de Deus manifestada em sua criação ­ tanto do universo como do homem. É uma verdade refletida por outros salmos de Davi (19:1), pelos escritores do Novo Testamento (Romanos 1:20), e por muitas pessoas ponderadas e prudentes que consideraram os céus e a terra a evidência do propósito, poder e sabedoria neles refletida (Jó 12:7-9; Jeremias 5:21-25).

A sabedoria e o poder de Deus são manifestados quando se observa a maravilha de um recém-nascido não menos do que quando se maravilha com a vastidão do espaço e as incontáveis estrelas (8:1-2).  Este paradoxo é a mensagem do salmo inteiro.  A primeira impressão sugeriria a pequenez e relativa insignificância do homem em comparação com os céus, a intrincada e artística obra dos "dedos" de Deus (8:3).  "Que é o homem, que dele te lembres?" (8:4). A pergunta é uma expressão de assombro: que Jeová, o criador de tal esplendor, se preocuparia com ele e o atenderia

Entretanto, a pergunta já aponta para sua resposta, pois qual outro ser em toda a criação de Deus tem o conhecimento até para fazer tal pergunta?  Na verdade, o homem não se encontra embaixo do resto da criação, mas acima dela.  Criado à imagem de Deus (Gênesis 1:26), o homem foi feito um pouco abaixo de Deus e, assim, é a coroa de glória da grande criação de Deus (8:5).

O "status" especial do homem entre todas as criaturas de Deus dá-lhe uma dignidade não igualada por qualquer outra criatura.  Deus colocou o homem nessa posição, e coroou-o com glória e honra (8:5). O Criador também dotou o homem com o direito de domínio sobre sua criação (Gênesis 1:26-28).  Assim o homem foi incumbido de uma responsabilidade de "dominar" tudo que foi colocado a seu cuidado (8:6-8).  No melhor dos casos, o homem nesta majestosa posição é representado no Novo Testamento como um tipo de Jesus, que em sua morte e ressurreição foi "coroado de glória e de honra" (Hebreus 2:9).

O domínio do homem sobre a natureza, contudo, maravilhoso como é, sempre fica em segundo lugar para seu chamado como servo e adorador de Deus.  O cumprimento adequado do papel de domínio do homem pode ser realizado somente quando ele reconhece sua total dependência do Criador (Atos 17:24-31).  Tal responsabilidade deveria levar, não ao orgulho, mas a um humilde reconhecimento da glória do Criador.  "Ó Senhor, nosso Senhor, quão magnífico em toda a terra é o teu nome" (8:9).


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA