Share Button

Deus: Fiel e Justo (Romanos 9:1-18)

O capítulo 8 nos assegura do poder e do desejo de Deus de salvar o pecador. Como, então, seria possível algum israelita, alguém do povo escolhido, não ser salvo? Neste capítulo, Paulo mostra por que alguns descendentes (segundo a carne) de Abraão seriam perdidos.

Os Judeus Incrédulos (1-5)

A condição espiritual de alguns parentes de Paulo causou-lhe dor constante. Se fosse possível, ele até daria a sua própria alma para salvá-los (1-3). Mas não podemos tomar decisões por outros, nem obrigar alguém a ser salvo. Os parentes e compatriotas dele eram israelitas. Receberam todas as vantagens dadas por Deus aos judeus. Mesmo assim, não aceitaram a salvação em Cristo (4-5).

Deus Não Falhou (6-13)

O problema não é a palavra de Deus (6). O problema é que alguns israelitas não são israelitas! (7). Aqui Paulo faz a mesma distinção que encontramos em passagens como João 8:39-40,44, Romanos 2:28-29 e Gálatas 3:26-29. Israelitas verdadeiras são os descendentes espirituais (da promessa) de Abraão, e não os descendentes segundo a carne (7-8).

Deus escolheu os filhos da promessa. Escolheu Isaque e Jacó, assim rejeitando Esaú (9-13). Nenhum judeu reclamaria porque Deus escolheu um filho (Jacó) e rejeitou o outro (Esaú). Mas se ele escolher gentios e rejeitar judeus, alguns o acusariam de injustiça!

Deus É Justo (14-18)

Deus tem direito de mostrar misericórdia para qualquer um, conforme a sua própria vontade. Quando ele exerce esse direito, ele continua sendo justo (14-18). Ele não foi injusto por condenar os judeus incrédulos.

Estes versículos são facilmente distorcidos para ensinar que Deus simplesmente decidiu condenar alguns e salvar outros, e que a pessoa não pode fazer nada para efetuar a sua própria salvação. Ironicamente, o contexto argumenta ao contrário. Ao invés de defender um sistema diferenciado em que Deus salva e condena conforme seu próprio capricho, o argumento de Paulo é que ele salva judeus e gentios igualmente. O pecado do homem é culpa do homem (3:23), e a morte do homem é conseqüência do pecado (5:12). A justiça de Deus destruiria todos, se Jesus não tivesse se oferecido para aplacar a ira divina (3:26). Quando Deus mostra a sua misericórdia e salva todos que aceitam o evangelho, ele continua sendo justo. Deus é o mesmo e o evangelho é um só. A diferença se encontra na reação dos homens à mensagem de Deus.

Considere a injustiça dos próprios judeus. Se Paulo tivesse escrito um livro dizendo que os gentios seriam rejeitados como Ismael, Esaú ou o Faraó, os judaizantes não teriam nenhuma diferença com ele. Mas quando ele defendeu a salvação dos gentios nos mesmos termos dos judeus, ficaram totalmente revoltados!

–por Dennis Allan

Leia mais sobre este assunto:
Estudo Textuais Romanos

A paciência de Deus: um aspecto importante do seu amor
 
A Santidade de Deus
 
Expandindo o reino de justiça de Deus

Deus excluiu algumas pessoas do seu plano da salvação?
 
O Problema do Pecado
  

O propósito dos séculos
 


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA