Share Button

Terceira Parte: A Defesa Final de Jó e a Réplica de Eliú
Lição 1: O primeiro monólogo de Jó (27:1 - 28:28)


I. As declarações de Jó a respeito de si e de Deus (27:1-23)

A. Jó reafirma sua declaração de inocência (vs. 1-6).

1. Fazendo um juramento, Jó assevera que não pecará com palavras injustas.

2. Parece que o que ele tem em mente é o pecado de confessar um pecado do qual ele não é culpado. Isto seria "engano" (veja v. 4).

a. Dizer que os amigos estavam certos, seria o mesmo, para Jó, que admitir que ele tinha pecado de tal modo a merecer o "castigo" que estava recebendo.

b. Antes que "dar razão" a seus amigos, ele poderia continuar a afirmar sua inocência.

B. Nota especial:

1. O restante do texto da lição compreende uma das partes mais difíceis do livro de Jó. Uma porção (conf. 27:7-23) não parece ajustar-se no pensamento de Jó, o qual já observamos anteriormente, antes, parece descrever o pensamento dos três amigos. O capítulo 28, na opinião de algumas pessoas, não está bem relacionado com os capítulos 27 e 29.

2. Para lidar com estes "problemas", há quem tenha sugerido que parte do capítulo 27 (vs. 7-23) realmente constitui o terceiro discurso de Zofar. Outros também sugerem que todo o capítulo 28 foi escrito muito mais tarde do que o resto de Jó e sendo assim não é inspirado.

3. Nestas notas, estes dois capítulos serão considerados como tendo sido ditos por Jó. Os seguintes pontos deverão ser observados:

a. Jó já afirmou que a justiça no final será cumprida; pelo menos ele acredita que será justificado por Deus (por exemplo, veja 23:10; 19:25). Jó não entende o "como" e o "porquê" deste processo. Ele observou que tal justiça freqüentemente não é cumprida nesta vida, e que ainda os ímpios recebem bênçãos de Deus neste mundo.

b. É bem possível que, no capítulo 28, o ponto de Jó seja que o "como" e o "quando" do castigo da impiedade do homem estão dentro do domínio da sabedoria de Deus e que o homem não pode atingi-la.

c. Algumas pessoas sugerem que, ainda que Jó esteja falando em 27:7-23, ele está falando de uma maneira irônica, citando o argumento dos amigos e relegando toda a matéria da justiça à sabedoria de Deus (capitulo 28).

C. Jó declara a justiça de Deus (27:7-23).

1. Esta parte é iniciada pelo desejo de Jó de que seus inimigos sejam castigados como o os ímpios são (v. 7).

2. Versículos 9-10 podem pretender mostrar a diferença entre o homem ímpio e Jó. Jó continuou a "apelar para Deus".

3. A declaração de Jó é a mesma que a dos amigos: se o ímpio prospera, não será por muito tempo.

4. A ênfase do versículo 18 refere-se à natureza temporária do ímpio, assim como é transitório o seu abrigo.

II. A incapacidade do homem de descobrir a sabedoria

(28:1-28)

A. Jó relata a admirável capacidade do homem para escavar a terra em busca de tesouros (vs. 1-11).

1. Ele descreve alguns processos de mineração que existiam naquele tempo.

2. Jó está ressaltando a inteligência do homem e sua superioridade sobre os animais (particularmente o falcão com sua vista superior, e o leão, um animal de imensa coragem) que não têm, afinal, pisado esses caminhos no fundo da terra.

B. A sabedoria é um tesouro de valor imenso (vs. 12-19).

1. Apesar da busca inspirada do homem por pedras e metais valiosos, ele é incapaz de "escavar" a sabedoria; de fato, ele não sabe sequer o seu valor (vs. 12-14).

2. A sabedoria não pode ser extraída da terra como se escavam tesouros. Seu valor está tão longe de tais tesouros que não é possível trocá-los por ela (vs. 15-19).

C. Deus é o possuidor da verdadeira sabedoria (vs. 20-28).

1. A sabedoria aqui considerada está oculta ao homem (vs. 20-21).

2. Até mesmo a morte e a perdição apenas ouviram falar da sabedoria (v.22).

3. Jó dá evidência da posse de sabedoria por Deus observando as obras ordenadas da natureza (vs. 23-26).

4. O homem só pode conhecer a sabedoria como Deus a revela e sua declaração é afirmada por Jó (v. 28).

Perguntas Para Estudar:

O que todas estas passagens têm em comum: 6:29, 30; 10:7; 12:4; 13:18, 19; 16:17; 23:1-12; 27:1-6?

Por que alguns estudiosos atribuem 27:7-23 a Zofar como seu terceiro discurso?

Qual é "...a porção do perverso..." (27:13)?

Por que Jó podia dizer as coisas contidas em 27:7-23?

Com qual realização Jó ilustra a habilidade e a inteligência do homem?

Qual é o verdadeiro tesouro da vida?

Qual é o único modo pelo qual o homem pode chegar a possuir sabedoria divina? 


 

ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA