Share Button

Deus Não Negocia Tratados de Paz

Nas últimas semanas da sua vida, Moisés fez uma série de discursos importantes para o povo de Israel. Ele sabia que, logo após o seu falecimento iminente, eles entrariam para tomar posse da Terra Prometida por Deus aos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. Suas mensagens tratavam da importância da obediência para viver bem, protegidos por Deus no lugar que ele designou para seu povo escolhido. Esses discursos de Moisés foram registrados em Deuteronômio, o quinto livro do Antigo Testamento.

Como o povo escolhido do Antigo Testamento, Israel prefigura a igreja que Jesus estabeleceu no Novo Testamento. Um reino físico com território geográfico serviu como sombra para mostrar algumas coisas sobre a realidade de um reino espiritual sem fronteiras. A característica mais importante que Deus desejava em Israel e exige na sua igreja foi a santificação. Ele chamou os hebreus para imitar a santidade divina (Levítico 11:44-45) e chama os cristãos a fazerem a mesma coisa (1 Pedro 1:14-16).

Moisés se preocupou muito com a santidade de Israel. As instruções que Deus passou para Israel por meio desse servo fiel tinham o propósito de manter uma nação santa no meio de povos que não respeitavam seu Criador. Nas orientações que Moisés deu aos hebreus sobre as guerras necessárias para tomar a terra e segurar suas fronteiras, esse princípio de santidade tornou evidente. Há duas situações de batalhas previstas que ilustram esse fato.

A maioria das batalhas dos israelitas seria contra povos que habitavam dentro do território prometido a Abraão, Isaque e Jacó e seus descendentes. Esses povos se mostraram rebeldes contra Deus por séculos antes da chegada do povo de Israel. Deus, o perfeito Juiz e Soberano sobre as nações, havia declarado a sentença contra os habitantes da terra de Canaã. Nas batalhas contra esses povos, a instrução de Deus foi clara. Israel seria seu instrumento para exterminar completamente os povos condenados: “Antes, como te ordenou o SENHOR, teu Deus, destruí-las-ás totalmente: os heteus, os amorreus, os cananeus, os ferezeus, os heveus e os jebuseus, para que não vos ensinem a fazer segundo todas as suas abominações, que fizeram a seus desuses, pois pecaríeis contra o SENHOR, vosso Deus” (Deuteronômio 20:17-18).

A segunda situação seria em batalhas fora das fronteiras definidas por Deus. Nesses casos, o procedimento seria diferente. Antes de travar uma batalha, Israel ofereceria um tratado de paz (Deuteronômio 20:10). É importante observar, porém, os termos de paz autorizados por Deus no caso de uma cidade aceitar a proposta: “Se a sua resposta é de paz, e te abrir as portas, todo o povo que nela se achar será sujeito a trabalhos forçados e te servirá. Porém, se ela não fizer paz contigo, mas te fizer guerra, então, a sitiarás. E o SENHOR, teu Deus, a dará na tua mão...” (Deuteronômio 20:11-13).

Nada de negociar termos. A única maneira de viver seria pela submissão total ao povo de Deus. Quem recusava se render seria morto (Deuteronômio 20:13).

Sob a Nova Aliança, os cidadãos do reino do Senhor não ocupam territórios geográficos e não se envolvem em guerras carnais para defender sua terra. A natureza do reino exclui a possibilidade de batalhas carnais na sua defesa (João 18:36). As armas usadas pelos soldados de Jesus são espirituais (2 Coríntios 10:3-6; Efésios 6:11-17), “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Efésios 6:12).

Mas Jesus ainda não negocia termos de paz. Por meio dos seus embaixadores, ele oferece uma proposta unilateral para a reconciliação de homens pecadores com Deus (2 Coríntios 5:18-20). A única maneira de viver é pela submissão total à vontade de Jesus. A mensagem dos embaixadores é clara. Aqueles que creem e recebem o batismo para o perdão dos seus pecados entram em comunhão com Deus e assumem o compromisso de obediência total ao Rei Jesus (Marcos 16:15-16; Mateus 28:18-20). Para viver com Cristo, é necessário se submeter como escravos de Cristo e matar a natureza terrestre que contraria a perfeição de Deus (Colossenses 3:1-11).

Deus não negocia, mas ele oferece a paz eterna para todos que aceitam seus termos.

- por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA