Share Button

Salmo 43: Espera em Deus, Pois Ainda o Louvarei

O homem que conduzia o povo à Casa de Deus sofreu terrivelmente quando o mesmo povo virou contra seu líder. Clamou a Deus, procurando conforto. Suas orações foram ouvidas e esse homem achou motivo de entrar novamente na Casa do Senhor para adorar seu Deus. O Salmo 43 não tem um cabeçalho para identificar seu autor ou circunstância, mas a leitura dele junto com o 42 deixa claro que um é a continuação do anterior. O refrão encontrado em 42:5 e 11 aparece novamente em 43:5, completando em dois Salmos um hino de três estrofes. Antes de considerar o conteúdo do Salmo 43, será importante voltar e ler novamente o Salmo 42.

Como observamos no estudo do Salmo 42 (no artigo anterior), as palavras dos filhos de Corá descrevem bem os pensamentos de Davi durante o conflito com seu filho rebelde Absalão. A primeira estrofe descreve a angústia do rei, atormentado pelas palavras dos seus adversários, que procuravam pôr em dúvida sua fé (Salmo 42:1-5). A segunda continua as lamentações do líder de Israel, mas com um tom um pouco mais positivo, de reconhecer a sua comunhão com o Senhor (Salmo 42:6-11). A terceira mostra sua confiança de um desfecho favorável da situação, terminando com a sua intenção de entrar na presença de Deus para lhe adorar (Salmo 43:1-5). Vamos considerar essa última estrofe do hino, o Salmo 43.

O protagonista do Salmo (provavelmente Davi) pede o julgamento da sua causa contra a nação, uma solicitação que se ajusta bem aos fatos da guerra civil incitada por Absalão. Sabendo que Davi não desejava a morte do seu filho (2 Samuel 18:5), é possível que ele vê o adversário em termos gerais (“a nação contenciosa” – verso 1) ou em termos de um ou mais dos homens mais experientes que acompanhavam Absalão (assim, o “homem fraudulento e injusto” – verso 1).

A demora na justiça de Deus apresentou uma dificuldade para o salmista, como também para muitas outras pessoas antes e depois dele. Ele pergunta para Deus: “Por que me rejeitas? Por que hei de andar eu lamentando sob a opressão dos meus inimigos?” Em outro Salmo, Davi perguntou para Deus quatro vezes em seis versos: “Até quando?” (Salmo 13). Habacuque ficou impaciente no seu desejo de ver a justiça divina (Habacuque 1:2). Asafe lutou com a mesma dificuldade ao ver os ímpios prosperarem (Salmo 73:13-14) e expressou bem esse desejo de ver a justiça do Senhor: “Até quando, ó Deus, o adversário nos afrontará? Acaso, blasfemará o inimigo incessantemente o teu nome?” (Salmo 74:10). As almas dos cristãos mortos nas perseguições do primeiro século fizeram a mesma pergunta para Deus: “Até quando, ó Soberano Senhor, santo e verdadeiro, não julgas, nem vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra” (Apocalipse 6:10).

A pureza dos motivos do suplicante fica evidente nos versos 3 e 4: “Envia a tua luz e a tua verdade, para que me guiem e me levem ao teu santo monte e aos teus tabernáculos. Então, irei ao altar de Deus, de Deus, que é a minha grande alegria; ao som da harpa eu te louvarei, ó Deus, Deus meu”. Como foi o caso nas citações acima de Davi, Habacuque, Asafe e os mártires na igreja primitiva, a vontade dos fiéis que pedem a justiça é o desejo de ver o nome do Senhor santificado.

Para Davi, os filhos de Corá e outros servos do Senhor em todas as épocas, a maior alegria imaginável se encontra no privilégio de adorar a Deus. O ponto não foi a autopreservação do homem, e sim o cumprimento do propósito da sua existência. Quando Davi sobreviveu à ameaça de Absalão e seus co-conspiradores, as promessas de Deus sobreviveram com ele. O nome de Davi foi lembrado, sim, mas o nome de Deus continua sendo exaltado. Ele é digno do louvor que recebe e que ainda será dirigido a ele por toda a eternidade. “Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder...”; “Àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos” (Apocalipse 4:11; 5:13).

A libertação do justo e o castigo dos seus adversários cruéis foram maneiras de demonstrar a santidade, a justiça e a glória de Deus.

-por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2016 Karl Hennecke, USA