Share Button

O Dilúvio: Quarenta Dias de Purificação

De modo geral, os homens não concordaram com seu Criador. Deus colocou um casal inocente para viver em um paraíso perto dele, e optaram por tomar sobre si a culpa do pecado e morrer longe dele e fora do paraíso. Nas gerações depois de Adão e Eva, alguns buscaram ao Senhor e procuraram fazer a sua vontade, mas foram raras exceções no meio de um mundo cada vez mais corrupto. A humanidade chegou ao fundo do poço, decepcionando o Criador: “Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração; então, se arrependeu o SENHOR de ter feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração” (Gênesis 6:5-6).

Antes de continuar, vamos parar para pensar no lugar da história do dilúvio. Alguns simplesmente rejeitam essa história e a Bíblia toda, e nunca ficarão satisfeitos com as evidências apresentadas. Outros dizem acreditar em Deus Pai e em Jesus, mas ainda tratam essa história como lendária. Tal abordagem é contraditória. Ao longo das Escrituras, o dilúvio foi tratado como fato histórico. Rejeitar a história do dilúvio implica em rejeitar as palavras de Moisés, Isaías, Ezequiel, Mateus, Lucas, Pedro e outros, inclusive o ensinamento do próprio Jesus. Quem acredita na veracidade dos profetas, apóstolos e de Jesus Cristo necessariamente acredita na história do dilúvio. Quem trata a história de Noé como lenda rejeita, ao mesmo tempo, os aspectos mais importantes da mensagem bíblica.

Agora, voltemos à história, prestando atenção na sua mensagem.

Os homens exerceram seu livre arbítrio e escolheram a morte, então Deus lhes entregou à morte. Ele nunca forçou ninguém a permanecer com ele, mas sem Deus não há vida. A decisão de virar as costas para Deus é uma escolha fatal. No meio do mundo poluído pela maldade, Deus viu um homem que ainda lutava para servir a ele. Noé não era perfeito, e a Bíblia não esconde seus erros, mas ele era um homem guiado por sua fé em Deus (Hebreus 11:7). Ele “achou graça diante do SENHOR” (Gênesis 6:8).

Quando Deus exterminou os seres humanos da face da Terra, ele poupou a vida de Noé e de sete membros da sua família. O apóstolo Pedro escreveu, milhares de anos depois: “... a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água” (1 Pedro 3:20).

As palavras de Pedro podem nos surpreender, e certamente nos ensinam. Pedro não disse que Noé e os outros foram salvos da água e sim, foram salvos através da água. Enquanto nossa tendência seria focalizar o papel destruidor da água do dilúvio, Pedro enfatizou seu papel salvador. Se a água foi o instrumento que Deus usou para exterminar os pecadores, em que sentido a família de Noé foi salva através da água?

O ponto é que o pecado corrompe e mata. Enquanto pessoas más dominavam o mundo, Noé, sua mulher, seus filhos e suas noras viviam rodeados pela morte do pecado. O efeito do dilúvio foi uma purificação, tirando a corrupção e dando oportunidade para um novo começo.

O relato do dilúvio é fascinante. Embora não apresente explicações detalhadas, o texto sugere mudanças radicais no nosso mundo como resultado de um período de 40 dias de chuvas. A topografia da terra foi alterada, e é provável que houve mudanças permanentes no clima. Muitos cientistas que acreditam na Bíblia encontram no dilúvio explicações plausíveis para vários fenômenos geológicos e biológicos como consequências dessas modificações no ambiente do nosso planeta.

A ênfase bíblica, porém, está na mensagem espiritual. Deus pode tolerar a maldade humana por um tempo. Os homens podem negar a noção de justiça divina, até confundindo sua longanimidade por impotência, mas a justiça vem. Jesus disse: “Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca” (Mateus 24:37-38). Os prudentes vivem preparados para o julgamento divino (2 Coríntios 5:9-10; Mateus 25:13).

-por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA