Share Button

Deus Não Faz Nada

Nas conversas para justificar o ateísmo, o agnosticismo ou o simples desinteresse em questões espirituais, algumas das perguntas mais gritantes sugerem a falta de ação divina: “Como Deus deixaria aquela pessoa inocente sofrer?” ou “Se Deus existe, por que ele não interfere?”.

Por trás das perguntas desse tipo estão diversas dúvidas e até convicções. Alguns concluem que Deus simplesmente não existe, porque dizem não ver provas. Outros concluem que Deus pode até existir, mas que ele não se importa com o procedimento dos homens. Em ambos os casos, a falta de provas claras e imediatas da intervenção divina para acertar as injustiças nesse mundo é interpretada como argumento contra Deus e contra os ensinamentos sobre Deus nas Escrituras.

Seiscentos anos antes de Cristo, o profeta Sofonias transmitiu um aviso de Deus aos homens que “dizem no seu coração: O SENHOR não faz bem, nem faz mal” (Sofonias 1:12). Como fazem muitos nos dias de hoje, esses achavam que Deus não fazia nada, só porque não enxergavam suas obras.

A resposta bíblica para esses argumentos não satisfaz as pessoas que insistem em reações imediatas como provas da existência ou caráter de Deus. O homem que acredita que Deus teria de responder da maneira e na hora determinadas por seres humanos jamais aceitará a resposta encontrada nas Escrituras, pois ela não se enquadra nessa perspectiva imediata. De fato, o problema que se torna insuperável para muitas pessoas é exatamente isso. Um Deus eterno e infinito não vai caber numa pequena caixa fabricada por pessoas finitas.

Deus nunca viu a necessidade de responder a todas as dúvidas e objeções dos homens, mas ele revelou, nas Escrituras, informações suficientes para nos orientar sobre as nossas dificuldades. Pelo estudo das mensagens reveladas, percebemos a importância de vencer as nossas expectativas imediatistas com a paciência de uma perspectiva eterna. Ou seja, Deus pode não acertar as contas já da maneira e no momento que nós achamos bons, mas a justiça vem e as contas serão acertadas. Encontramos essa resposta várias vezes na Bíblia. Considere alguns exemplos.

A mensagem de Sofonias afirma que Deus agiria. O dia do acerto de contas é descrito como o “Dia do Senhor”, uma expressão usada várias vezes nesse pequeno livro. A ênfase em Sofonias está no castigo que esse dia traria sobre as nações e as pessoas que se rebelavam contra o Senhor, ou que simplesmente não buscavam servi-lo: “os que deixam de seguir ao SENHOR e os que não buscam o SENHOR, nem perguntam por ele” (Sofonias 1:6). O Dia do Senhor seria a ocasião de castigar os ímpios e salvar os fiéis. O mesmo dia tem os dois aspectos: punição e libertação.

Quase duzentos anos depois de Sofonias, o profeta Malaquias registrou a queixa dos homens contra Deus: “Vós dizeis: Inútil é servir a Deus; que nos aproveitou termos cuidado em guardar os seus preceitos e em andar de luto diante do SENHOR dos Exércitos? Ora, pois, nós reputamos por felizes os soberbos; também os que cometem impiedade prosperam, sim, eles tentam ao SENHOR e escapam” (Malaquias 3:14-15). Deus prometeu que o dia de acertar as contas chegaria, e que a distinção entre certo e errado ficaria evidente: “Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não o serve” (Malaquias 3:18). Aqui, também, percebemos os dois aspectos do mesmo dia.

Passaram mais 500 anos, e algumas pessoas no tempo dos apóstolos de Jesus fizeram a mesma pergunta. Achavam que Jesus estava demorando para voltar para salvar seus servos e castigar os rebeldes. Diziam: “Onde está a promessa da sua vinda? Porque, desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação” (2 Pedro 3:4). Na resposta, Pedro afirmou que Deus não vive conforme o cronograma humano: “Há, todavia, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos, como um dia” (2 Pedro 3:8). O ponto é que a reação de Deus às injustiças humanas pode demorar, conforme o nosso calendário, mas o acerto vem! Pedro continua no mesmo capítulo frisando os dois aspectos do Dia de Deus: o castigo dos ímpios e a libertação dos piedosos.

Deus não faz nada, nem bem, nem mal? Somente os míopes espirituais ousam afirmar isso! -por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA