Share Button

A Nação Ressuscitada

Deus dá vida. As várias ressurreições registradas na Bíblia serviam para lembrar as pessoas desse poder divino. Com a exceção de Jesus, porém, nada sugere que as pessoas ressuscitadas escapariam da morte para sempre. Viveriam o resto de uma vida normal para morrerem outra vez. A vitória temporária sobre a morte física foi apenas uma maneira de ilustrar algo muito maior: o poder de Deus para realizar um outro tipo de ressurreição.

Temas de vida e morte foram sempre ligados à relação dos homens com Deus. Quando o Senhor libertou o povo de Israel da sua escravidão no Egito, ele chamou esses descendentes de Abraaão a serem um povo especial: “Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é minha; vós me sereis reino de sacerdotes e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel” (Êxodo 19:5-6). Moisés orientou os israelitas sobre uma maneira impressionante de frisar a diferença entre dois caminhos, um que levaria à vida com Deus, e outro que terminaria na morte da separação de Deus. Ele mandou que dividissem a nação em duas partes sobre duas montanhas, Gerizim e Ebal. As seis tribos no monte Gerizim repetiriam as bênçãos preparadas por Deus para seu povo, e as outras seis tribos, no monte Ebal, pronunciariam as advertências sobre maldições que viriam se fossem desobedientes. Leia o relato dessas mensagens fortes em Deuteronômio 27 e 28. Depois dessas instruções, Moisés resumiu bem a escolha diante dos israelitas: “Vê que proponho, hoje, a vida e o bem, a morte e o mal. . . . Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência” (Deuteronômio 30:15,19).

Escolheram mal. Ao longo dos séculos seguintes, o povo escolhido por Deus e privilegiado com uma terra especial foi desobediente ao Senhor. Praticou imoralidade, injustiça e idolatria. Deus mandou repetidos avisos por meio de profetas fiéis, mas persistiram no pecado. Deus mandou outras nações para castigar a nação rebelde. Muitos morreram, e outros foram levados ao cativeiro. Ezequiel foi um dos vários profetas que avisaram e comentaram sobre esses castigos. Ele descreveu o sofrimento e morte dos habitantes e a desolação da terra que Deus havia dado ao seu povo (veja um exemplo em Ezequiel 33:27-29). Viria sobre a nação a consequência do seu pecado: a morte.

Depois de anunciar a destruição da nação, Deus começa a falar da sua restauração! Ele disse: “Tomar-vos-ei de entre as nações, e vos congregarei de todos os países, e vos trarei para a vossa terra” (Ezequiel 36:24). Para uma nação devastada por causa da rebeldia, esta mensagem de misericórdia parecia impossível de se acreditar. Seria possível restaurar a nação?

Deus respondeu com uma visão profética impressionante (Ezequiel 37). O Espírito do Senhor levou Ezequiel para um vale cheio de ossos secos. Deus mandou que ele pregasse aos ossos, e o profeta assistiu a uma cena dramática em que os ossos foram cobertos de carne e pele e ressuscitados como pessoas vivas! Explicações de outras mensagens no resto do livro e de outros livros do Antigo e Novo Testamentos ajudam a entender o significado da visão. Deus restauraria seu povo e teria uma verdadeira nação santa! É o mesmo tema da restauração enfatizado no ensinamento de Pedro. Ele descreveu a igreja de Jesus como o povo restaurado, a nação santa: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; vós, sim, que, antes, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia” (1 Pedro 2:9-10).

O que Deus realizou por meio de Jesus Cristo e seu sacrifício na cruz foi nada menos do que a ressurreição! Pessoas espiritualmente mortas, tanto judeus como outras nações, receberam a oportunidade de viver. Aqueles que se afastaram de Deus por causa do pecado voltaram a ser o povo especial e privilegiado. “Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens” (Tito 2:11).

–por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA