Share Button

Três Condenados no Jardim do Éden

Nenhum outro dia na História teve impacto negativo maior do que o dia registrado em Gênesis capítulo 3. A serpente tentou Eva, e ela e seu marido caíram no pecado, desobedecendo ao Criador.

Desde aquele dia, muitas pessoas têm citado a história do pecado do primeiro casal como prova de alguma injustiça por parte de Deus. Acham injusto Deus criar o homem e permitir uma tentação, sabendo que as consequências seriam tão graves. Ironicamente, as mesmas pessoas que assim julgam Deus desejam exercer exatamente o mesmo privilégio que levou à queda no Éden: a capacidade de escolher e tomar suas próprias decisões.

Deus poderia ter criado os homens como uma raça de robôs, mas não o fez. Ele nos criou à sua imagem e semelhança, como seres inteligentes e capazes de amar. Se tivesse feito pessoas incapazes de escolher, não teriam condições de amar. Mas uma vez que Deus deu aos seres humanos o direito de escolher, ele admitiu a possibilidade de decidirem não amar. Por isso, por querer criaturas que amariam a ele e uma a outra, Deus deixou que decidissem. Poderiam amar, fazendo a vontade dele, ou odiar, sendo rebeldes e desobedientes.

Ele deixou muito mais para atrair o homem para o bem do que para o mal. Em um jardim cheio de árvores boas e permitidas, deixou apenas uma proibida. Deus avisou claramente do perigo daquela, desejando poupar o homem do sofrimento que ela traria: “Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gênesis 2:15-17). Contrário a algumas crenças populares, este fruto proibido não foi o sexo, pois as relações sexuais de homem com sua esposa legítima sempre foram lícitas e boas (Hebreus 13:4; 1 Coríntios 7:2-5). O relato também não diz que foi maçã. Foi o fruto da árvore de conhecimento do bem e do mal. Comendo o fruto, o homem deixaria sua inocência e pureza e se tornaria pecador diante de Deus.

A serpente enganou a mulher, e ela comeu o fruto. Logo em seguida, ela ofereceu o mesmo para seu marido, e ele comeu. De repente, os dois perderam sua inocência e perceberam seu estado. Antes eram como crianças ingênuas andando nuas sem sentir vergonha, mas, depois de pecar, perceberam sua nudez e sentiram vergonha. Além de tentar cobrir a sua nudez, eles se esconderam quando Deus se aproximou (leia o registro bíblico em Gênesis 3:1-8).

Quando Deus perguntou, o homem procurou jogar a culpa na mulher e até no próprio Senhor por ter criado sua companheira. Ela explicou que foi enganada pela serpente, e Deus nem perguntou para a serpente sobre seu papel nesta história. Mas nenhum dos três escapou do castigo divino.

A serpente foi rebaixada. De maior importância, o próprio Satanás esperaria sua derrota pela mão do descendente da mulher (Gênesis 3:15), uma profecia que olha para a vitória de Jesus quando venceu o pecado e a morte no seu sacrifício perfeito na cruz.

A mulher ainda teria um papel fundamental no plano de Deus, mas esse papel se tornou muito mais difícil. Especificamente, sofreria para ter filhos, sentindo dores de parto, e teria que superar grandes dificuldades para aceitar sua posição de submissão ao homem (Gênesis 3:16). Devemos observar que a submissão não foi consequência do pecado, e sim a dificuldade em aceitar esta posição. A submissão da mulher ao homem já foi determinada por Deus na criação do primeiro casal (1 Timóteo 2:11-13).

O trabalho do homem para se sustentar se tornou difícil. O trabalho não foi a maldição, pois Deus fez o homem para isso e já lhe deu trabalho (leia novamente Gênesis 2:15). Em consequência do pecado, o homem ficaria suado, fedido, dolorido e machucado no seu trabalho (Gênesis 3:17-19).

Devido ao pecado cometido, o primeiro casal foi expulso do jardim, afastado de Deus e da árvore da vida. Adão e Eva tiveram sua escolha, e decidiram não amar. Devido a essa decisão errada, o mundo nunca mais foi o mesmo!

–por Dennis Allan


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 500 -- Jarinu – SP -- CEP: 13240-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2017 Karl Hennecke, USA