Share Button

Condenar Deus? (mp3)

Jó não entendeu o que estava acontecendo na sua vida. Imaginou que seu sofrimento fosse causado por Deus, mas não compreendeu o motivo. Os amigos dele foram rápidos em pronunciar Jó culpado de grandes transgressões e merecedor das piores possíveis punições. Mas a consciência de Jó não o acusava, pois sabia que não tinha cometido tais pecados. Por que, então, Deus o tratava assim? Ele queria uma audiência para provar a sua inocência e, de uma certa forma, mostrar que Deus havia sido injusto com ele (Jó 23:3-7,16; 24:1-12). Jó não sabia, como nós aprendemos nos primeiros dois capítulos do livro, que o sofrimento vinha da mão do Adversário, e não como castigo divino.  

Deus deixou Jó e seus amigos discutirem o assunto. 36 capítulos do livro são dedicados aos debates deles, e nenhum dos cinco homens envolvidos, nem o próprio Jó, conseguiu explicar a sua angústia. No final do livro, Deus quebra seu silêncio, mas ainda não explica o envolvimento do Diabo ou o motivo do sofrimento deste servo. Ele mostra para Jó a soberania e onipotência de Deus em contraste com a pequenez do homem. Deus alerta Jó sobre o perigo de passar as decisões divinas pela peneira do raciocínio humano: “Acaso, anularás tu, de fato, o meu juízo? Ou me condenarás, para te justificares?” (Jó 40:8).  

Corremos o mesmo risco hoje. Seres humanos, com suas capacidades limitadas, imaginam-se competentes para explicar coisas que Deus não revelou, e até para determinar o que Deus pensa quando ele não fala! Esquecem do princípio que Moisés ensinou 3.500 anos atrás: “As coisas encobertas pertencem ao Senhor, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem” (Deuteronômio 29:29). Freqüentemente, uma pessoa encara o ensinamento bíblico, reconhece que a palavra de Deus condena sua conduta, e diz: “Mas eu sei que Deus não vai me condenar por isso”! Que arrogância e teimosia! Condena Deus e nega a sua justiça para defender seu procedimento desobediente!  

O salmista disse a Deus: “Tu ordenaste os teus mandamentos para que os cumpramos à risca. Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos” (Salmo 119:4-5).  

- por Dennis Allan

Leia mais sobre este assunto:
Quando Tudo Dá Errado: O exemplo de Jó

O Livro de Jó

Por que os justos sofrem?

O Árbitro

O desejo de agradar a DeusPor Que, Senhor ...? Habacuque Questiona a Justiça de Deus


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA