Os Pecados de Jeroboão  (pdf)

As histórias dos reis de Israel estão cheias de citações dos pecados de Jeroboão. A maldade dele se tornou ponto de referência para julgar os seus sucessores. Os registros nos dois livros dos Reis comentam que outros andaram, seguiram, aderiram e não se apartaram dos pecados de Jeroboão, filho de Nebate. Agora, quase 3.000 anos depois do reinado deste rei, ainda podemos – e devemos – aprender lições importantes dos seus erros.

O contexto histórico

Salomão, o terceiro rei de Judá, pecou tanto contra Deus que o Senhor decidiu tirar a maior parte do reino das mãos dos descendentes dele. Após a morte deste filho de Davi, o reino se dividiu em duas partes. A parte do sul, conhecida como Judá, ficou sob o domínio dos descendentes de Davi. A maior parte, composta das dez tribos do norte, foi dada por Deus a Jeroboão, filho de Nebate, um efraimita já provado como administrador hábil.

Jeroboão tinha tudo que precisava para ser muito bem sucedido. Quando Deus mandou o profeta Aías falar com Jeroboão sobre o plano divino de lhe entregar as 10 tribos de Israel, ele prometeu a permanência da família de Jeroboão no trono, se este fosse fiel ao Senhor: “Se ouvires tudo o que eu te ordenar, e andares nos meus caminhos, e fizeres o que é reto perante mim, guardando os meus estatutos e os meus mandamentos, como fez Davi, meu servo, eu serei contigo, e te edificarei uma casa estável, como edifiquei a Davi, e te darei Israel” (1 Reis 11:38). Que promessa! Que oportunidade para estabelecer sua dinastia em Israel! Mas houve uma condição: Se ouvir as ordens, andar no caminho, fizer o que é reto e guardar os mandamentos de Deus, a dinastia dele seria estabelecida. Esta condição de obediência foi o problema de Jeroboão. Vamos examinar a história de Jeroboão para aprender como evitar os pecados que levaram ao fracasso da dinastia dele.

 A preocupação de Jeroboão

A pesar da promessa de Deus, Jeroboão sentiu-se inseguro como rei de Israel. Ele se preocupou, especialmente, com a influência dos irmãos em Judá. Se os israelitas voltassem a Jerusalém para comemorar as festas anuais, como Deus mandou na lei dada a Moisés, eles poderiam rejeitar Jeroboão. Os sacerdotes lá em Jerusalém iam comentar sobre o templo que foi projetado pelo avô e construído pelo pai do rei de Judá. Assim, pensou Jeroboão, o povo consideraria Roboão o rei legítimo e voltaria para Judá. Eles poderiam até assassinar o rei de Israel!

Quantas vezes fazemos a mesma coisa? Ao invés de confiar nas promessas de Deus, imaginamos todas as coisas que poderiam acontecer. Ficamos preocupados e ansiosos sobre coisas imaginadas, quando devemos simplesmente confiar no Senhor. Pedro disse que devemos nos humilhar “sob a poderosa mão de Deus... lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 Pedro 5:6-7).

As inovações de Jeroboão

A falta de fé de Jeroboão o levou a cometer uma série de pecados. Na leitura de 1 Reis 12:25-33, encontramos quatro inovações que o rei de Israel introduziu, sem autorização divina. Ele mudou:

1. Os símbolos da religião dos israelitas. A adoração verdadeira envolvia a arca da aliança, o altar dos holocaustos, o templo em Jerusalém, etc. A religião inovadora de Jeroboão tinha outros símbolos – bezerros de ouro e altares em Dã e Betel. Ele tinha um certo apoio histórico, pois o primeiro sumo sacerdote de Israel havia feito um bezerro de ouro (Êxodo 32:1-29). Precedente histórica, sem a aprovação divina, não serve para guiar o nosso caminho.

2. O lugar da adoração. Quando o povo estava prestes a entrar na terra prometida, Deus falou que designaria um lugar exclusivo para determinadas comemorações e sacrifícios (Deuteronômio 12:1-14). Jerusalém foi o lugar que o Senhor escolheu, e ali Salomão construiu o templo. Mas, Jeroboão tinha alguma base histórica na escolha de outros lugares, especialmente Betel. A própria palavra significa “casa de Deus”, pois foi ali que Jacó encontrou Deus (Gênesis 28:10-22). Duas gerações antes, o próprio Abrão sacrificou ao Senhor perto de Betel (Gênesis 12:8). O fato de Deus ter aceito uma coisa numa época não é prova de que ele aceitará a mesma coisa numa outra época.

3. O sacerdócio. A lei dada por meio de Moisés foi clara. Os sacerdotes de Israel seriam levitas. Jeroboão não respeitou esta limitação e ordenou pessoas de outras tribos como sacerdotes. Quem tivesse dinheiro para fazer os sacrifícios que o rei pediu poderia ser sacerdote. Quando Deus dá qualificações para posições de serviço no reino dele, devemos respeitar todas as condições por ele impostas. Apesar de tais orientações na palavra, quantos homens hoje continuam agindo como pastores, mesmo não tendo todas as qualificações que Deus exige deles? Quem tiver dinheiro para pagar mensalidades de algum curso de teologia se torna pastor, ignorando e desrespeitando as qualificações bíblicas (1 Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9).

4. As datas das festas. Deus ordenou algumas festas especiais, inclusive a Festa dos Tabernáculos que foi comemorada no sétimo mês do calendário judaico. Jeroboão escolheu o oitavo mês para a festa inventada por ele. Nosso serviço deve ser feito para agradar a Deus, nunca colocando a nossa vontade acima da palavra dele.

Deus disse “não” cinco vezes!

Deus só precisa falar uma vez, e nós devemos respeitar a palavra dele. Às vezes, ele mostra sua longanimidade, dando diversas oportunidades para o pecador enxergar seu erro e se arrepender. No caso de Jeroboão, podemos identificar cinco vezes que Deus condenou seu pecado.

1. Deus disse “não” na lei. Todas as inovações de Jeroboão feriram os princípios da lei dada ao povo 500 anos antes (Êxodo 25-28; 30:1-10; Levítico 23:33-44; Números 3:3,44-45; Deuteronômio 12:1-14).. Se Jeroboão tivesse respeitado a palavra já escrita, não teria causado os grandes estragos que ele trouxe sobre sua família e sobre o povo de Israel. Também, não teria perdido o apoio dos levitas e outros fiéis que saíram de Israel e foram para Judá, um lugar onde seria possível continuar servindo ao Senhor (2 Crônicas 11:13-17).

2. Deus disse “não” pela boca de um profeta de Judá. Deus mandou um profeta de Judá a Betel, onde fez profecias detalhadas (cumpridas 300 anos depois) sobre os pecados de Jeroboão. A palavra foi confirmada por uma série de sinais miraculosos. Mesmo assim, Jeroboão não se arrependeu de sua maldade (leia o relato em 1 Reis 13:1-10,33-34).

3. Deus disse “não” pela boca do profeta Aías. Alguns anos antes, Deus tinha usado Aías para falar para Jeroboão que este seria rei de Israel. Desta vez, o mesmo profeta, já velho e cego, viu claramente os pecados que o rei cometera. Ele falou das conseqüências graves: a aniquilação da casa de Jeroboão e o cativeiro de Israel além de Eufrates, uma profecia cumprida 200 anos mais tarde (1 Reis 14:1-16). A palavra de Aías foi confirmada pela morte do filho de Jeroboão, mas este ainda não se arrependeu.

4. Deus disse “não” pela boca do rei Abias. Jeroboão ainda estava reinando em Israel quando Abias, o neto de Salomão, começou a reinar em Judá. Durante este período, houve guerra entre os dois reinos. Abias tinha uma desvantagem militar, contando com 400.000 soldados para guerrear contra os 800.000 homens no exército de Jeroboão. Antes de travar a batalha, o rei de Judá foi para Israel e tentou convencer Jeroboão de seus erros e da futilidade de entrar nesta batalha. Ele começou com um resumo da história da divisão dos reinos, e passou a mostrar a posição precária de Jeroboão e seus homens. Observe alguns pontos de contraste que ele frisou (2 Crônicas 13:8-12):

Israel

Judá

Exército maior (800.000 homens)

Exército menor (400.000 homens)

Bezerros de ouro feitos por Jeroboão

O Senhor

Sacerdotes não aprovados por Deus

Sacerdotes do Senhor, levitas

Adoração errada

Adoração autorizada por Deus

Deixou de servir a Deus

Guarda os preceitos do Senhor

Quando Abias falou, Jeroboão deveria ter ouvido. Mas ele estava muito ocupado preparando a sua resposta – planejando a tática militar e organizando uma emboscada para vencer o inimigo. Como é comum a mesma atitude hoje. Quando alguém nos repreende, damos ouvidos para aprender como melhorar e corrigir erros, ou ficamos o tempo todo pensando em como responder para nos defender e nos justificar? Jeroboão deveria ter ouvido as palavras de Abias!

5. Deus disse “não” pela derrota esmagadora no campo de batalha. Jeroboão, na sua esperteza, tentou ganhar a vantagem decisiva sobre Judá. Mas Abias havia falado a verdade – Deus estava com Judá. Os bezerros de ouro e 800.000 soldados não resistiram os 400.000 apoiados pelo Senhor. Naquele dia, meio milhão de soldados de Israel caíram mortos, e Deus deu uma grande vitória ao povo de Judá, comandado por Abias. Jeroboão nunca recuperou força para desafiar Judá outra vez (2 Crônicas 13:14-20).

Aplicações

Observemos algumas lições importantes desta história de Jeroboão:

1. Quando Deus fala, devemos ouvir. Ele não precisa falar cinco vezes. Uma vez na palavra dele basta. Se Jeroboão tivesse respeitado a lei já revelada, poderia ter evitado muito sofrimento (Provérbios 16:20;19:16).

2. Nunca devemos introduzir doutrinas ou práticas na igreja sem a autorização da palavra de Deus (Colossenses 3:17; 2 João 9).

3. Devemos rejeitar qualquer pastor que não tenha todas as qualificações reveladas pelo Espírito Santo em 1 Timóteo 3:1-7 e Tito 1:5-9. Pastores não qualificados devem obedecer a Deus e renunciar as suas posições.

4. “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8:31). Por outro lado, “Se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela” (Salmo 127:1).

5. Devemos ouvir aquele que nos corrige, ao invés de nos preocupar com as nossas defesas e justificativas (Provérbios 15:5,31-32;19:27; 27:5). Se Jeroboão tivesse ouvido Abias, 500.000 homens poderiam ter sobrevivido naquele dia.

6. Devemos abandonar o erro e buscar um lugar para servir ao Senhor conforme a vontade dele. Quando Jeroboão conduziu Israel ao pecado, os servos do Senhor deixaram o país e foram para Judá. Quando igrejas hoje se desviam da palavra de Deus e recusam se arrepender, somos obrigados a sair delas e procurar outras pessoas que respeitam a palavra de Deus (2 Coríntios 6:14 - 7:1).

Os pecados de Jeroboão levaram Israel à destruição, pois Deus se afastou deste povo rebelde (2 Reis 17:21-23). Vamos evitar os erros deste rei rebelde!

–por Dennis Allan
d154

Leia mais sobre este assunto:
Os argumentos de Jeroboão para defender inovações

A Religião de Imitação de Jeroboão

Betel ou Bete-Áven?

Até Quando Coxeareis Entre Dois Pensamentos?

Adoração Rejeitada

O Reino do Velho Testamento

Purificação do Templo

Confia no Senhor de Todo o Teu Coração

Os Altos Não Foram Tirados

O Prumo de Deus


ESTUDOS BÍBLICOS     PESQUISAR NO SITE     MENSAGENS EM ÁUDIO    
MENSAGENS EM VÍDEO   
ESTUDOS TEXTUAIS    ANDANDO NA VERDADE  
O QUE ESTÁ ESCRITO?
  
O QUE A BIBLIA DIZ?

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©2014 Karl Hennecke, USA