Share Button

Apocalipse: Lição 35

Palavras Fiéis e Verdadeiras (Apocalipse 22:6-21)

O livro do Apocalipse contém uma série impressionante de visões usadas por Jesus para comunicar verdades importantes e confortantes aos seus servos. A mensagem deste livro fala principalmente aos cristãos da Ásia Menor no final do primeiro século, mas oferece, também, consolação e confiança aos servos de Deus de todas as épocas e em todos os lugares.

Os últimos parágrafos do livro, considerados nesta lição, encerram a revelação dada a João e frisam, de várias maneiras, a relevância e veracidade da mensagem. O Apocalipse, como as outras Escrituras, tem a assinatura do Senhor!

22:6 – Disse-me ainda: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. O Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou seu anjo para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer.

Disse-me ainda: Estas palavras são fiéis e verdadeiras: “Fiel” e “verdadeiro” são palavras repetidas no livro, do começo ao fim, para destacar a confiabilidade da fonte e da mensagem em si. Jesus é “Fiel e Verdadeiro” (19:11) e “a testemunha fiel e verdadeira” (3:14; cf. 1:5; 3:7). Por isso, as palavras dele “são fiéis e verdadeiras” (21:5; 22:6).

O Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou seu anjo para mostrar aos seus servos: Todo o peso da autoridade divina está atrás destas palavras confiáveis, enviadas para consolar os discípulos. Deus usa profetas e anjos para revelar a sua palavra aos seus servos (cf. 1:1).

As coisas que em breve devem acontecer: As mesmas palavras encontradas no início do livro (1:1) aparecem aqui no fim dele. Jesus abre e encerra esta revelação com os mesmos limites de tempo, assim exigindo que alunos reverentes procurem entender o livro inteiro no contexto da igreja primitiva. Mesmo se não conseguirmos identificar o cumprimento detalhado de todas as profecias, podemos confiar na “Fiel Testemunha” quando diz a João e outros cristãos do primeiro século que estas coisas iam acontecer “em breve”.

22:7 – Eis que venho sem demora. Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.

A vinda do Senhor sempre envolve dois aspectos: 1. A salvação dos seus servos, e 2. O castigo dos rebeldes e ímpios. Deus já veio, muitas vezes, em julgamentos de nações para resgatar e proteger os inocentes. Aqui, Jesus estava pronto para vir e julgar os perseguidores romanos e proteger os inocentes e fiéis. Para confortar aqueles que enfrentariam essas tribulações, ele promete chegar sem demora.

Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro: Esta é a sexta das sete bem-aventuranças no livro (veja a lista na lição 3). Muitas vezes, usamos a palavra profecia no sentido restrito de predições sobre acontecimentos futuros. O significado da palavra, porém, é bem mais abrangente, e fala de revelação divina transmitida diretamente ao homem. O trabalho principal dos profetas bíblicos foi de chamar o povo à obediência, e João não é exceção. A profecia do Apocalipse incentiva os leitores a adorarem o Senhor e a resistirem ao diabo e aos seus aliados. Não é apenas um livro informativo, mas uma mensagem extremamente prática. As instruções do livro foram escritas para serem obedecidas.

22:8-9 – Eu, João, sou quem ouviu e viu estas coisas. E, quando as ouvi e vi, prostrei-me ante os pés do anjo que me mostrou essas coisas, para adorá-lo. 9 Então, ele me disse: Vê, não faças isso; eu sou conservo teu, dos teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.

Eu, João, sou quem ouviu e viu estas coisas: Este apóstolo não se identifica, por nome, e nenhum dos outros livros a ele atribuídos, mas esta é a quarta vez que se identifica como o mensageiro humano usado na transmissão do Apocalipse. Mesmo assim, esta citação mostra que não se identifica por motivo de orgulho, e sim, como maneira de assumir responsabilidade pelo que fez. Ele escreveu as coisas que Jesus revelou. Também falhou, como diz o resto deste versículo, e não fugiu do seu erro.

E quando as ouvi e vi, prostrei-me ante os pés do anjo que me mostrou essas coisas, para adorá-lo....Adora a Deus: A mesma coisa relatada em 19:10 (veja os comentários na lição 30). Alguns comentaristas acreditam que seja simplesmente um segundo relato do mesmo episódio. Se aconteceu uma ou duas vezes, a lição dos dois relatos é a mesma. Somente Deus merece adoração.

22:10 – Disse-me ainda: Não seles as palavras da profecia deste livro, porque o tempo está próximo.

Disse-me ainda: Não seles as palavras da profecia deste livro, porque o tempo está próximo: O anjo acrescenta uma instrução e uma explicação interessantes. A ordem de não selar a mensagem oferece um contraste com a instrução dada a Daniel quando recebeu uma visão referente aos reinos helenistas que viriam menos de 400 anos depois: “Preserva a visão, porque se refere a dias ainda mui distantes” (Daniel 8:26).

As explicações das duas ordens (dadas a Daniel e a João, respectivamente), mostram os motivos. A visão de Daniel falou do futuro distante, e, por isso, foi preservada ou selada. O Apocalipse, porém, falou de coisas que iam acontecer logo depois de João recebê-lo. Este contraste apóia fortemente a interpretação adotada ao longo do nosso estudo. Se menos de 400 anos foram dias “mui distantes”, os dias próximos e as coisas que iam acontecer em breve, do ponto de vista de João, não poderiam vir milhares de anos depois, como muitos ensinam hoje. As interpretações que colocam o cumprimento do Apocalipse ainda no futuro desrespeitam as palavras do próprio livro.

22:11 – Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se.

Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo: A profecia foi escrita para ser obedecida (22:7) e os sinais foram dados como alertas aos ímpios. Eles, porém, não se arrependeram (9:20; 16:9,11,21). Agora, só resta o cumprimento das profecias e o juízo dos injustos.

E o santo continue a santificar-se: Os fiéis, aqueles que têm ouvidos, ouvem e seguem as instruções do livro para se manterem santificados. Para estes, a vinda de Jesus trará alívio, vitória, e glória.

22:12 – E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras.

E eis que venho sem demora: Jesus declara a iminência de sua vinda pela segunda de três vezes neste capítulo. Cada vez, a vinda dele é ligada ao consolo ou à recompensa dada aos fiéis.

E comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras: Para os servos preparados, o Dia do Senhor é sempre bem-vindo. Enquanto a palavra traduzida galardão freqüentemente representa um prêmio ou salário desejado (cf. Lucas 6:35), pode ser, também, o salário do pecado (cf. 2 Pedro 2:13,15). A menção das duas categorias no versículo 11 sugere esta possibilidade. Entendido desta maneira, o versículo 12 falaria a respeito da mesma distinção entre os justos e os ímpios encontrada em 11:18; 21:7-8; etc.

22:13 – Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim.

Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim: Já observamos o significado destas afirmações nos comentários sobre 1:8 e 21:6. Jesus fala com autoridade, porque é capaz de cumprir as suas promessas.

22:14-15 – Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras [no sangue do Cordeiro], para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas. 15 Fora ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira.

Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras: A última das bem-aventuranças do livro. Os colchetes indicam uma questão sobre o texto original. Como normalmente é o caso, a dúvida sobre esta frase (no sangue do Cordeiro) não apresenta nenhuma dificuldade doutrinária. Outros textos mostram claramente que é o sangue do Cordeiro que nos purifica (7:14; Romanos 5:9; Efésios 1:7; Hebreus 9:14).

Para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas: Purificados pelo sangue, os abençoados ganham acesso à árvore da vida e entrada pelas portas da cidade. As portas descritas no capítulo 21 representaram o povo de Deus, que tem acesso por meio de Jesus (cf. João 10:9; Mateus 7:14).

Fora ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todo aquele que ama e pratica a mentira: Se não entrar pelas portas, não passará pelas muralhas altas da cidade! Os ímpios não têm lugar na cidade santa. Cães, na Bíblia, não eram animais de estimação. Eram animais imundos e desprezados, usados várias vezes para representar pecadores e a sujeira do seu erro (Salmo 22:16; Mateus 7:6; Filipenses 3:2).

22:16 – Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas às igrejas. Eu sou a Raiz e a Geração de Davi, a brilhante Estrela da manhã.

Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas às igrejas: Aqui no fim do livro, Jesus reforça dois fatos importantes da introdução: 1. A mensagem vem do próprio Jesus; e 2. Foi dirigida às igrejas – especificamente as sete citadas no início do livro (1:4,11,20; capítulos 2 e 3).

u sou a Raiz e a Geração de Davi: O Leão, o único digno de abrir os selos e revelar o mistério de Deus (5:5).

A brilhante Estrela da manhã: Na carta à igreja de Tiatira, Jesus prometeu dar a estrela da manhã, representando toda a esperança e otimismo que vêm com a presença de Deus, aos vencedores (2:28). Agora, ele assume a mesma descrição como mais uma maneira de se identificar. É somente nele que temos esperança do amanhã, do novo e eterno dia onde a noite e as trevas não existem!

22:17 – O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem! Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida.

O Espírito e a noiva dizem: Vem! Aquele que ouve, diga: Vem!: Deus e o povo dele estendem o convite aos outros. Deixem a imundícia e venham! Afastem-se da Babilônia (18:4). Entrem pelas portas da cidade santa. Até as últimas linhas do Apocalipse, as Escrituras apresentam a mensagem do amor de Deus e do seu desejo de salvar os homens (João 3:16; 2 Pedro 3:9). A noiva, a igreja, oferece o mesmo convite. Nunca devemos esquecer desta missão importante da noiva de Cristo. Nós que somos cristãos não devemos sentir contentes em receber as bênçãos da comunhão com Deus; devemos divulgar as boas novas e convidar outros a participarem da mesma vida. A cidade santa é grande. Tem espaço para todos que deixam as suas iniqüidades para se tornarem utensílios úteis na casa de Deus.

Aquele que tem sede venha, e quem quiser receba de graça a água da vida: A água da vida (cf. 22:1-2) é oferecida a todos os sedentos. E o preço já foi pago pelo sacrifício de Cristo. Qualquer um pode receber esta água de graça. De fato, não tem alternativa. Ninguém é capaz de pagar, por mérito próprio, o valor da vida (Efésios 2:8-9). Ainda devemos fazer boas obras (22:12; Efésios 2:10) e praticar a justiça (22:11), mas jamais teremos condições de saldar a dívida do pecado para merecer a salvação. Recebemos esta água de graça!

22:18-19 – Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; 19 e, se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro.

Eu: Jesus já se identificou como a pessoa que fala neste trecho (22:16).

A todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro: O que ele dirá aqui é de aplicação geral – fala igualmente para os ouvintes na Ásia no primeiro século, na África no quinto século, na Europa no décimo século ou no Brasil no século XXI! Quem tem ouvidos, ouça!

Testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro: Mudar a palavra de Deus é um erro gravíssimo. Se alguém ousar acrescentar alguma coisa ao Apocalipse, sofrerá os castigos citados no livro. Se forem pragas literais e futuras, como muitos hoje afirmam, Jesus não teria como fazer esta afirmação, pois leitores no passado não sofreram, literalmente, estas pragas. Mas, quando entendemos a linguagem das pragas figuradamente, entendemos que Deus é capaz de castigar qualquer um em qualquer momento da história.

E, se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro: Tirar alguma coisa da palavra de Deus é igualmente errado. A pessoa que faz isso perde a sua comunhão com Deus e sua participação das bênçãos dadas ao povo santo.

Estes dois versículos falam das profecias do Apocalipse, mas os mesmos princípios se aplicam a todos os livros da Bíblia. Nenhuma pessoa tem direito de acrescentar ou tirar quando se trata da palavra revelada por Deus. Moisés disse: “ Nada acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que eu vos mando” (Deuteronômio 4:2; cf. 12:32). Agur disse: “Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam. Nada acrescentarás às suas palavras, para que não te repreenda, e sejas achado mentiroso” (Provérbios 30:5-6). Considere, também, as advertências de 1 Coríntios 4:6; Gálatas 1:6-10 e 2 João 9.

22:20-21 Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente, venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus!  A graça do Senhor Jesus seja com todos.

Aquele que dá testemunho destas coisas: Jesus, a Fiel Testemunha (1:5), continua falando.

Certamente, venho sem demora: Pela terceira vez neste capítulo, Jesus promete cumprir estas profecias logo depois da revelação dada por meio de João.

Amém! Vem, Senhor Jesus!: João sente-se animado pela promessa e pela convicção que Jesus aliviará o sofrimento que virá sobre a igreja. Ele quer que Jesus venha logo! Mais uma vez, devemos entender este pedido no contexto da vinda de Jesus para salvar os santos oprimidos e trazer justiça contra os perseguidores romanos. Enquanto todo discípulo fiel deseja estar com Cristo eternamente (Filipenses 1:21-23; 2 Coríntios 5:1-8), entendemos que a demora do Senhor em trazer o julgamento final oferece oportunidade aos pecadores a se arrependerem (2 Pedro 3:9).

A graça do Senhor Jesus seja com todos: A saudação final do livro, e o desejo sincero de João para com todos os leitores e ouvintes.

Conclusão

Que livro poderoso! Jesus, o Senhor dos senhores e Rei dos reis comunicou aos seus servos a sua justiça, poder, compreensão e graça por meio de visões dramáticas dadas a João. Por meio destas mensagens ele certamente ofereceu consolo aos santos perseguidos pelo governo romano. E a afirmação do domínio absoluto do Senhor continua confortando os discípulos nos dias de hoje.

É, também, um livro altamente prático. Dele, aprendemos mais sobre como servir a Deus e como adorar o nosso Criador e Redentor.

Espero que este estudo tenha sido o começo, ou mais um passo, na sua jornada para compreender e apreciar as mensagens riquíssimas do Apocalipse.


Perguntas

1. Ache e anote todos os versículos deste trecho (21:6-21) que afirmam que a mensagem do Apocalipse seria cumprida logo depois de ser revelada.

2. Qual o significado do contraste entre Apocalipse 1:10 e Daniel 8:26?

3. Quem pode entrar na cidade santa? Quem fica fora?

4. A igreja (coletivamente) e os cristãos (individualmente) têm alguma responsabilidade de divulgar o evangelho? O que este capítulo diz a respeito desse trabalho? 

5. Qual a conseqüência de acrescentar ou tirar alguma coisa deste livro? 

6. É permitido acrescentar ou tirar palavras dos outros livros da Bíblia? 

7. João disse que Jesus voltaria logo para o julgamento final de todos? Explique.


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA