Share Button

Lição 6

Liberdade da Lei
(Romanos 7:1-25)


Introdução: Resumo do contexto da lei em Romanos; veja 
3:20-21,30-31; 4:13-16; 5:20-21; 6:14

    A lei testemunhada e estabelecida pelo evangelho de Cristo

    A lei entrou para aumentar a transgressão a fim de mostrar a necessidade de Cristo

    Promessa não através da lei; ninguém justificado por lei

        No contexto, primeiramente referindo à Lei de Moisés, mas, no princípio, a qualquer lei

        Não podemos ser justificados por um sistema legal, numa base de lei

            A inocência pela lei envolve guardá-la

            Cristo não veio para trazer uma lei melhor de modo que guardando-a poderíamos ser salvos

    Não estamos sob a lei como meio de justificação

Não sob a lei (7:1-6)

    Lembre-se de 6:14: não estamos debaixo da lei, mas da graça

    Proposição básica (7:1): a lei não obriga os mortos

    Ilustração (7:2-3)

        A morte liberta a pessoa da lei do casamento

        Enquanto o marido vive, a mulher é adúltera se casar-se com o outro homem

    Aplicação (7:4): desde que morremos e a lei não obriga os mortos, não estamos sob a lei

        Por meio do corpo de Cristo, seu corpo crucificado

            Participamos da morte de Cristo e de seu significado quando somos batizados (6:3-4)

            Na morte de Cristo ele satisfez a exigência da lei (Gálatas 3:13), e assim, em nossa união com a morte de Cristo somos libertados da lei

       Observe os significativos paralelos entre os capítulos 6 e 7

            Morremos para o pecado, para a lei (6:2; 7:4)

            Estamos livres do pecado e da lei (6:18; 7:3)

            Justificados do pecado, libertados da lei (6:7; 7:6)

            Novidade de vida, novidade de espírito (6:4; 7:6)

        No batismo, somos libertados do pecado e da lei

    Resumo (7:5-6)

        Quando vivíamos: capítulo 7

            Segundo a carne; dependentes de nossa própria capacidade moral

            As paixões operavam pela lei e produziram o pecado em nossos membros

            O pecado levou à morte

        Agora: capítulo 8

            Libertados da lei

            Servir em novidade de espírito e não em antigüidade da letra:

                Compara aquele que tem a lei em livros e rolos, porém não a obedeceu, com o homem que permite à lei penetrar em seu coração 
                (veja Romanos 2:25-29; Ezequiel 36:26-27; Jeremias
3:6-10; 31:31-34)

                2 Coríntios 3:6 compara a época da lei e a época do espírito; isto é, judaismo com cristianismo

 Perguntas: 

1.  Qual é o princípio básico referente à aplicação de lei (7:1)?

2.  Como Paulo ilustrou este princípio?

3.  Qual é a aplicação que ele fez (7:4)?

4.  Desafio adicional: Quais são os contrastes entre 7:5 e 7:6?


É a lei pecado? (7:7-13)

    Paulo corrige um possível mal-entendido de seu ensinamento. Ele tinha dito que o pecado era através dalei e alguém poderia pensar que ele estivesse fazendo da lei o autor do pecado. 
    O propósito de Paulo
neste parágrafo e no próximo é inocentar a lei

            De fato, a lei define o pecado e tornou Paulo ciente do pecado (7:7)

            O pecado usava a lei como uma oportunidade para produzir a ação errada (7:8-11)

                O pecado é um tirano que abusa da lei para matar

                A lei torna-se a base de operações que o pecado usa

                Considere o caso de Adão e Eva

                    O diabo usou o mandamento de Deus. Ele perguntou, "Deus disse?"

                    Persuadiu-os a pecar, e assim matou-os

                Considere o caso de Paulo

                    Sem a lei (na infância): o pecado estava morto e ele estava vivo [este texto refuta a doutrina do pecado herdado]

                    Quando veio o mandamento (em tempo de responsabilidade): o pecado tornou-se vivo e ele morreu

               Assim o mandamento que foi dado para dar vida terminou produzindo morte porque o pecado usa a lei para nos matar

   Resumo (7:12-13)

        A lei em si é santa, justa e boa

        Não foi a lei, mas o pecado usando a lei, que causou a morte

            Não culpe a espada porque nas mãos do inimigo ela mata o homem, para cuja defesa ela foi feita

            Não culpe o extintor de incêndio se alguém o usar para bater e matar outra pessoa

        O pecado usa a lei talvez em dois sentidos

            Não haveria pecado se não houvesse lei, porque o pecado é uma violação da lei

            Algumas vezes o que é proibido automaticamente se torna mais atraente (Provérbios 9:17)

        O abuso da lei pelo pecado

            Mostra a malignidade do pecado causando a morte pelo que é bom

            Mostra a necessidade da salvação

Perguntas:

1. Qual o relacionamento entre o pecado e a lei?

2. Quando Paulo era vivo sem a lei?

3. Qual é a avaliação de Paulo referente à lei?

4. Quais propósitos a lei cumpriu?


A debilidade da lei (7:14-25)

    Os principais propósitos deste trecho

        Para inocentar a lei, e pôr a responsabilidade pelo pecado no homem

        Para mostrar como o pecado usa a lei para produzir a morte

        Para mostrar a relação entre o homem e a lei

        Para mostrar nossa necessidade de sermos redimidos da lei

    A lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido à escravidão do pecado

        O problema não era a lei, mas o material com o qual a lei tinha que trabalhar (7:16; 8:3)

        Paulo está se descrevendo sob a lei, deixado a si mesmo

        Paulo terminou fazendo o que ele não queria fazer

        Quando um homem fica sozinho diante da lei de Deus, o pecado entra, captura e escraviza; um homem não é senhor nem mesmo de sua própria casa

        O problema não está com o desejo, mas com a execução

        Ilustração: que força moral há para manter limpa uma folha de papel suja? Não importa o que Paulo fez, ele era um pecador

    Cinco leis

        Lei de Deus = lei da minha mente: o que ele queria fazer

        Lei do pecado = lei de meus membros; o que ele acabou fazendo

        Lei completa de seu ser (7:21): uma luta existe entre as duas leis e a lei do pecado vence

    Conclusão (7:24-25)

        Desventurado homem que sou! Grito desesperado por socorro do homem que apesar de uma luta valente é ainda mantido cativo pelo pecado

        Graças a Deus: Cristo é o libertador; antecipa o capítulo 8, onde o homem é libertado da lei do pecado em Cristo

        Resumo: o estado do homem sem a graça: ele deseja servir a Deus mas as paixões pecaminosas levam-no a servir a lei do pecado

        Aplicação: alguns não obedecem ao evangelho porque temem que não possam "vivê-lo". A verdade é que não podem fora de Cristo. 
        Eles não devem tentar aperfeiçoar-se por si mesmos antes dechegarem ao evangelho

Perguntas:

1. Como era a condição do homem descrito neste parágrafo?

2. Como Paulo poderia conseguir escapar o domínio do pecado?

3. Desafio adicional: Este homem estava sob a lei ou sob a graça? Defenda sua resposta.


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA