Share Button

Relações Entre as Igrejas Locais

Relações diretas entre as igrejas locais era uma proposição limitada no Novo Testamento. Em uma ocasião (Atos 15) os irmãos de Antioquia vieram a Jerusalém para certificarem-se de que a igreja de Jerusalém não se punha entre eles e a revelação de Deus. Outro caso envolvia diversas congregações, cada uma escolhendo seu próprio mensageiro e enviando auxílio aos santos de Jerusalém porque eram objeto de caridade (2 Coríntios 8).

Relações indiretas entre igrejas envolviam igrejas enviando salários ao mesmo pregador quando ele trabalhava em outra cidade (2 Coríntios 11:8). Também cada igreja tinha que obedecer aos ensinamentos dos apóstolos (1 Coríntios 4:17;  7:17). Igrejas eram usadas como exemplos de generosidade (2 Coríntios 8);  de fé (1 Tessalonicenses 1);  e de infidelidade (Apocalipse 3). Elas saudavam umas às outras (Romanos 16; 1 Coríntios 16) e Paulo orava por todas elas. O homem moderno fica estarrecido por ter havido um contato tão pobre entre as igrejas em vista da tarefa que estava diante delas. Os apóstolos eram pobres, as igrejas que eles tinham que estabelecer seriam pobres também. Poderiam eles pregar o evangelho a todo o mundo?

Primeiro, os apóstolos estavam prontos a dar a cada homem uma resposta pela esperança que havia neles (1 Pedro 3:15). E segundo, os primitivos convertidos eram zelosos como os apóstolos, pois eles "…iam por toda parte pregando a palavra" (Atos 8). Esta era uma busca séria por almas. Como estes professores trabalhavam cada dia, publicamente e de casa em casa!

Em terceiro lugar, havia igrejas locais envolvidas em espalhar a palavra. "Porque de vós repercutiu a palavra do Senhor não só na Macedônia e Acaia, mas também por toda parte se divulgou a vossa fé para com Deus" (1 Tessalonicenses 1:8). Fica-se surpreso ao saber que não havia sociedades missionárias ou igrejas patrocinadoras para ajudar na obra. Não havia conferências estaduais da juventude ou retiros cristãos, nenhum evento esportivo regional para igrejas, etc. Certamente, na mente de muitas pessoas verdadeiramente comprometidas de hoje, todos estes programas deveriam estar funcionando.

Esta simplicidade não era acidental. Hebreus 7:14 assume que conhecemos a regra que estabelece as fronteiras de Deus. "Pois é evidente que nosso Senhor procedeu de Judá, tribo à qual Moisés nunca atribuiu sacerdotes." Ele diz que os homens da tribo de Judá não podiam ser sacerdotes. Deus nomeou especialmente os filhos de Arão para serem sacerdotes. Seu mandamento específico tinha um efeito limitado. Exatamente assim, a autoridade dos presbíteros é confinada a cada rebanho, pela mesma regra. "Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós" (1 Pedro 5:2). A centralização da obra da igreja estava fora da autorização dada por Deus.

Estas igrejas cooperavam? Naturalmente. Cada igreja (e cristão) estava trabalhando com a mesma tarefa todo o tempo: pregar o evangelho ao mundo. O mundo estava em toda a parte, e cada criatura era o alvo. Cada igreja estava trabalhando no mesmo projeto - "todos" - todo o tempo. Cada igreja, cada irmão ou irmã, e cada pregador, estava levando a palavra de Deus ao mundo. Isso era cooperação, na maneira bíblica. Uma igreja era fiel, dependendo de sua relação com Deus, mesmo se ela não soubesse de nenhuma outra igreja no mundo.

Os dois exemplos no Novo Testamento de igrejas sustentando pregadores não envolvem nenhum contato entre as igrejas. "Despojei outras igrejas, recebendo salário, para vos poder servir…" (2 Coríntios 11:8). "E sabeis também vós, ó filipenses, que no início do evangelho, quando parti da Macedônia, nenhuma igreja se associou comigo no tocante a dar e receber, senão unicamente vós outros; porque até para Tessalônica mandastes não somente uma vez, mas duas, o bastante para as minhas necessidades" (Filipenses 4:15-16).

Estes eventos foram ocasiões diferentes. Isto é visto pela diferença em:
1. a linguagem, "igrejas" contra "somente vós";  2. o lugar, "Corinto" contra "Tessalônica"; e 3. o tempo, "no início do evangelho" contra o fim, em "Corinto."  Isto significa que o exemplo de sustentar pregadores sempre foi direto, era cuidar de suas necessidades, era apreciado e relatado pelo pregador, e também ajudava o doador tanto quanto aquele que recebia. Este modelo responde às necessidades da pregação sustentada pela igreja e não levanta nenhum problema para o futuro.

A verdadeira independência era a razão de haver tão poucos contatos entre as igrejas. Cada igreja ficava na mesma relação de igualdade com a grande missão como qualquer outra igreja. Cada igreja planejava seu próprio trabalho, para ser financiado pelo seu próprio dinheiro. As Escrituras são notavelmente silenciosas com respeito a qualquer igreja fazendo planos para gastar fundos de outra igreja. Tal planejamento teria enchido o Novo Testamento com mapas de organização e regulamentos.

O presidente de uma companhia de seguros disse ao seu pessoal que os seus 100.000.000 clientes tinham comprado suas apólices individualmenteSuma por uma. Isto ilustra para nós que ensinamento, e não grandes organizações, é a chave do crescimento. É, também, eminentemente de acordo com as Escrituras.

A simplicidade do modelo de Deus!  Cada igreja local sendo cuidada por seus próprios presbíteros (1 Pedro 5:2). Cada igreja sustentando pregadores de sua própria escolha. Cada igreja cuidando de seus próprios necessitados, com seus próprios servos.

Eficaz? O mundo ouviria o evangelho em uma única geração (Colossenses 1:23).

- por Harold Dowdy


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA