Share Button

"Salvos, Através da Água"

Certa vez li, em algum lugar, que, se a superfície da terra fosse lisa, a água a cobriria numa profundidade de cerca de 3 km.  Parece que lembro também que os seres vivos, mesmo o corpo humano, se compõem de aproximadamente 80% de água.  A água é, obviamente, de todas as substâncias uma das mais encontradas, e sem ela toda a vida acabaria.

Com toda a natureza nos impondo a necessidade de água, ela parece ser um símbolo quase inevitável de vida e salvação.  Não admira que Deus lhe dê um destaque tão grande nas Escrituras e no projeto de redenção.

Um dos empregos mais naturais da água é como recurso purificador.  Quando que as pessoas deixaram de usar a água para tirar a sujeira do corpo ou de qualquer outra coisa suja?  Abraão pediu água para que os seus três convidados pudessem lavar os pés (Gênesis 18:4).  Em Gênesis 43:31, registra-se que José lavou o rosto antes de comer.

A mudança da purificação literal a um sentido simbólico não é coisa difícil.  As Escrituras falam de purificações rituais que capacitavam os sacerdotes para diversos serviços:  "Toma os levitas . . . e purifica-os; assim lhes farás [cerimonialmente], para os purificar:  asperge sobre eles a água da expiação; e sobre todo o seu corpo farão passar a navalha, lavarão as suas vestes e [assim] se purificarão" (Números 8:6-7).  O povo em geral também tinha várias purificações que os limpava da contaminação cerimonial (Levítico 4:8-9; Números 19:11-13).

A água era usada para purificação espiritual.  Assim, Jó fala de se lavar com "água de neve" e limpar as mãos com sabão (9:30).  Ainda mais diretamente, Davi roga:  "Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado . . . Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve" (Salmos 51:2,7; veja Provérbios 30:12; Isaías 1:16).

Tudo isso nos prepara para o elo inquebrável que o Novo Testamento estabelece entre a purificação do pecado e as águas do batismo.  Ananias disse a Saulo:  "E agora, por que te demoras?  Levanta-te, recebe o batismo e lava os teus pecados, invocando o nome dele" (Atos 22:16; veja 1 Coríntios 6:11; Efésios 5:26; Tito 3:5).  Em 1 Pedro 3:20,21, o apóstolo insiste que o batismo é um banho que salva, não um banho que meramente limpa a sujeira do corpo.

A água também tem algum sentido como elemento de julgamento, com poder para libertar e para destruir.  Ocorrem-nos dois exemplos impressionantes do Antigo Testamento: a travessia do mar Vermelho por parte de Israel e, é claro, o dilúvio.  No primeiro caso, relatado em Êxodo 14, o mar Vermelho se tornou a barreira entre Israel e a escravidão e o meio de se destruir Faraó. O salmista disse:  "Dividiu o mar e fê-los seguir; aprumou as águas como num dique . . . Dirigiu-o com segurança, e não temeram, ao passo que o mar submergiu os seus inimigos" (Salmo 78:13, 53).

Pedro, referindo-se ao grande dilúvio, disse que na arca "oito pessoas, foram salvos, através da água" (1 Pedro 3:20).  Mas o mesmo acontecimento foi um julgamento sobre a terra (2 Pedro 3:5-6) e serve de um tipo de garantia de que todo o mundo será novamente destruído S pelo fogo da próxima vez.

Com o dilúvio, Deus destruiu os perversos dos dias de Noé (Gênesis 6:5-7) e libertou o justo Noé (Gênesis 6:9).  Mas o valor redentor do dilúvio teve efeitos ainda mais abrangentes.  Ele preservou uma linhagem justa para o Messias, que viria "buscar e salvar o perdido" (Lucas 19:10), e "dar a sua vida em resgate por muitos" (Mateus 20:28).

Pedro prosseguiu afirmando que o dilúvio simboliza "o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo" (1 Pedro 3:21).  O pecador é batizado na morte de Jesus (Romanos 6:3), um acontecimento que liga o julgamento de Deus sobre o pecado e a redenção do pecador.  Em certo sentido, portanto, ser batizado é ser julgado e redimido no mesmo ato.  A morte do velho homem, a ressurreição do novo.

Por fim, Pedro estabelece uma relação entre a água e a criação, quando diz que os céus e a terra surgiram "da água e através da água pela palavra de Deus" (2 Pedro 3:5).  Que adequado, então, que a água, no ato do batismo, desempenhe o seu papel na formação, por parte de Deus, da nova criação: a pessoa em Cristo (2 Coríntios 5:17).  A transformação do velho homem no novo é tão radical, que somente um acontecimento tão radical quanto a própria criação pode servir de analogia ou antítipo adequado.  Nas águas do batismo, Deus forma "feitura dele, criados em Cristo Jeus . . ." (Efésios 2:10).

Nunca nada foi mais verdadeiro que a afirmação de que o homem é "salvo através da água".  Deus pôs água entre nós e a vida, quer falemos de vida física, quer tratemos de vida espiritual.

- por James W. Ward


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA