Share Button

Os dias de Gênesis 1

Uma das diferenças mais chamativas entre os crentes e os descrentes é a sua posição em relação à origem do universo e da vida. Aqueles que acreditam na Bíblia asseguram que a existência do universo e da vida é por causa de uma ação criativa de Deus, enquanto muitos descrentes acreditam em alguma teoria de evolução.

Há muito tempo, existe um debate entre os crentes, portanto, em compreender exatamente o relato da criação de Gênesis 1. Especificamente, eram os “dias” da semana da criação dias normais de 24 horas, ou poderiam estes dias terem sido períodos maiores de tempo?

Não é minha intenção colocar, explorar ou refutar os argumentos daqueles que afirmam que os dias da semana da criação fossem mais longos que 24 horas. Quero tentar a tarefa mais modesta de mostrar as provas de que os dias da semana de criação eram de períodos de 24 horas.

Estou perfeitamente ciente de que a palavra “dia” no Velho Testamento (a palavra hebraica yom), pode se referir a um período de tempo maior ou menor de 24 horas. “Dia”, às vezes, significa “as horas claras”, contrária à “noite” (veja Gênesis 8:22, para um exemplo). “Dia” também pode se referir a um tempo indefinido, como a frase “dia de ira” ou “dia do Senhor”. Estes “dias” não eram pontos específicos num calendário mas foram compreendidos, em termos mais gerais, como uma época (independentemente de onde ficava no calendário) em que Deus viria com ira contra um inimigo. Em tais frases “dia” significa “evento”. Às vezes, a palavra “dia” significa simplesmente “tempo”, como quando um escritor da Bíblia diz que algo durou “até ao dia de hoje” (confere Gênesis 19:37-38) ou como quando Isaque disse que não conhecia o dia da sua morte (Gênesis 27:2). E, às vezes, a palavra se refere a um período de 24 horas. Como muitas palavras na Bíblia, o sentido exato da palavra “dia” deve ser deduzido de acordo com o contexto no qual é usado. A pergunta é, portanto, se há algo em Gênesis 1 que nos fale como compreender a palavra “dia”? Eu acho que há. É a presença das palavras “primeiro”, “segundo”, “terceiro” e diante no relato dos dias da semana da criação. Consistentemente no Velho Testamento, até onde eu sei, cada vez que a palavra dia é acompanhada por um número, sempre se refere a um período de tempo de 24 horas. [Isto é, certamente, uma interpretação dos dados. A força dos dados é relatada de várias maneiras. G. Hasel relata 150 utilizações de yom com numerais e alega que todas se referem a um dia de 24 horas. K. Ham relata 358 utilizações com a mesma alegação. Eu não fiz o trabalho de estatística, então digo “até onde eu sei”. Porém, o caso para os dias de Gênesis 1 como dias de 24 horas não é apenas baseado neste ponto.]

Não há uma boa razão para supor que Gênesis 1 seja diferente na sua utilização dos termos “primeiro” (ou “segundo”, “terceiro”, etc.) e “dia” juntos. O fato que a palavra “dia” pode significar um tempo maior não justifica automaticamente compreendê-la desta maneira em Gênesis 1. Devemos deixar que o contexto faça esta determinação, e nada no contexto sugere que devemos abandonar o sentido literal da palavra a favor de uma significação figurativa ou estendida. Resumindo, a maneira mais simples de ler “dia” em Gênesis 1 é de entendê-lo como um período de 24 horas. A responsabilidade de provar o ponto fica para aqueles que defendem uma utilização figurada aqui. Se os dias em Gênesis 1 não são períodos normais de 24 horas, então como devemos compreendê-los? E, mais importante, o que no texto dará os limites para a nossa compreensão?

Há mais no contexto que limitaria os dias a períodos de 24 horas. Repetidamente, no relato, nos é dito “houve tarde e manhã” (seis vezes, no fim das atividades de cada dia). Se os dias têm mais de 24 horas, o que são as tardes e manhãs aqui? O que, no contexto, poderia sugerir que estes eram diferentes dos períodos normais de tarde e manhã pelos quais um dia normal é medido?

Às vezes, alguém objeta ao fato de não ter criado o sol até o quarto dia, então estes períodos poderiam ter sido maiores. Mas o que “manhã” e “tarde” significam em relação aos dias um a três, significa em relação aos dias quatro a seis, e vice-versa. Estas palavras são usadas consistentemente tanto para os dias anteriores quanto para os dias depois de o sol ter sido criado. A melhor maneira, parece, de compreender “manhã” e “tarde” nos primeiros três dias é simplesmente que havia períodos alternantes de luz e escuridão que eram iguais a “manhã” e “tarde” depois de Deus fazer o sol. Havia luz antes de haver sol (e todos os crentes da Bíblia concordam com isso), mas os períodos de luz e escuridão eram iguais antes e depois do sol ser feito.

Considere, também, que, quando Deus colocou luzeiros (o sol e a lua) no céu, ele disse: “e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos” (Gênesis 1:14). Se um dia não é 24 horas, então o que é um ano? É sem sentido falar de um ano se um dia não for um dia normal.

Há outros problemas, também. Por exemplo, é fato que as plantas precisam de sol para sobreviver. Se os dias fossem muito maiores que 24 horas (e muitos argumentam que estes “dias” na verdade são vários, até centenas, de “anos” [?!]), então a parte da “tarde” daqueles “dias” seria tão longa que mataria as plantas que Deus fez no terceiro dia, não deixando mais nada para os animais que ele criou no sexto dia.

Por que deveria existir alguma dúvida a respeito da duração dos dias de Gênesis? A resposta é que alguns aparentemente trazem idéias preconcebidas ao texto. Parte disso tem sido feito por pessoas (inclusive alguns cristãos) que são sinceras e honestamente estão se esforçando para compreender o relato da criação. Sinceras e honestas, porém, eu acredito, incorretas. Mas, em parte, é uma tentativa de fazer a Bíblia dizer o que diz a ciência moderna (descrente). Mas quando a ciência e a Bíblia discordam, a nossa reação será aceitar a Bíblia ou re-ler as afirmações simples bíblicas de forma que sustentam (ou harmonizam com) a ciência? E se, nos dias a seguir, a ciência modificar as suas teorias (como sempre faz)? Voltaremos, então, da nossa posição e retorceremos o texto de outra maneira que sustente as teorias mais novas? O que tal exercício diria da nossa leitura anterior da Bíblia?

Reconheço que fazer os dias de Gênesis períodos de 24 horas não responde cada pergunta que podemos ter sobre este relato, e pode dificultar a resposta de algumas questões. Mas devemos deixar o texto falar por si, e de onde estou, me parece que o texto fala claramente.

–por David McClister


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA