Share Button

13º de uma série de artigos sobre a evangelização
Discipulando as nações: Um processo de duas partes

Precisamos retornar a Mateus 28:18-20 se quisermos entender o processo de formação dos discípulos. Ao estudarmos esse processo, também entenderemos melhor o significado do discipulado.

Prefiro denominar essa comissão de “comissão apostólica”, já que, na verdade, trata-se das ordens que Jesus deu especialmente aos seus apóstolos. Se não reconhecermos essa aplicação especial, alguns aspectos serão mal-empregados. Mas “a grande comissão” não é uma designação imprópria para essa passagem, que contém:

1. Uma grande afirmação: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. Que afirmação admirável! Jesus afirma ter uma autoridade individida e ilimitada, a qual se estende a todo o universo. Não se pode escapar da autoridade de Cristo, não importa o lugar mais remoto do universo para o qual fuja.

2. Um grande encargo: “Fazei discípulos de todas as nações”, seguido de uma explicação do processo que consideraremos abaixo.

3. Uma grande promessa: “Eis que estou convosco todos os dias ...”, que, na minha opinião, refere-se ao preparo sobrenatural dos apóstolos para a sua tarefa (veja Marcos 16:17-20, especialmente o final; João 14:16-18, 25-26; Atos 1:8).

A responsabilidade principal da comissão é: fazer “discípulos de todas as nações”, mas a esse verbo Jesus adiciona dois particípios presentes no grego (traduzidos como gerúndios no português) que têm o efeito de completar a ordem e explicar como se formam os discípulos: “Batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”.

Preste atenção nas relações gramaticais aqui envolvidas. Jesus não diz “fazei discípulos” e depois “batizai-os”, seguido de “ensinai-os a guardar todas as coisas”. “Batizando” e “ensinando” vêm de particípios presentes que definem, modificam ou limitam a ordem de “fazer discípulos”. O tempo de um particípio grego relaciona-se ao tempo do verbo ao qual está ligado. O particípio presente é usado quando a ação do particípio se dá no mesmo momento que a ação do verbo ao qual está ligado. Portanto, as três ações da ordem de Jesus – “fazer discípulos”, “batizando” e “ensinando” – são representadas como coisas que ocorrem ao mesmo tempo. Não se trata de três ações separadas e distintas, as quais podem ser dissociadas umas das outras. Jesus ordena que uma coisa se faça: “fazer discípulos”. As outras duas ações se subordinam à primeira; estão implicadas na primeira. Elas explicam o processo de formação dos discípulos.

É um processo que se divide em duas partes. Uma parte é o batismo. Não devemos pensar que poderemos ser discípulos de Jesus sem o batismo, pois ele é uma parte do processo de formação de discípulos. (Examine as implicações da questão sobre batismo em 1 Coríntios 1:12-13.)

Mais do que o batismo, porém, é necessário para que uma pessoa se torne um discípulo. A outra parte do processo é: “Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”.

Mas ensinar todas as coisas que Jesus ordenou não leva muitos anos? E não tem que ser realizado nos vários anos após o batismo? Talvez. Mas Jesus não disse “ensinando-lhes todas as coisas que eu ordenei”. Ele disse: “Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”. E qualquer pessoa pode aprender a observar tudo o que Jesus ordenou bem antes de aprender todas as ordens de Jesus e as suas implicações. Via de regra é assim que se forma um discípulo – sem que ele conheça todos os mandamentos de Jesus, mas não sem o compromisso de, sempre que perceber tratar-se de um mandamento de Jesus, observá-lo. Mas uma coisa é certa. Ele não pode se tornar um discípulo sem antes ter esse compromisso. Pois faz parte do processo de formação de discípulos.

O compromisso de “guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” não se faz com base no fato de que cada um dos mandamentos foi analizado e aceito pela pessoa. Pelo contrário, é provável que ela não conheça nem entenda as implicações de cada mandamento na hora que assume o compromisso em relação a Cristo. Mas ela se compromete a obedecer a cada ordem de Cristo porque crê e confia nele e porque aceita a sua afirmação de possuir toda autoridade no céu e na terra. Essa relação pessoal é a essência do discipulado.

por L. A. Mott. Jr.


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA