Share Button

12º de uma série de artigos sobre a evangelização
Mais esclarecimentos sobre o discipulado

Embora as declarações de Jesus registradas em João 13:12-15 não contêm a palavra “discípulo”, na verdade fazem conclusões a respeito das responsabilidades daqueles que reconhecem que Jesus é o “Mestre”, contribuindo, assim, com algo para o entendimento do discipulado. Jesus explica o significado do ato de servir que ele acabou de realizar para os seus discípulos: “Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou. Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”.

Destacam-se dois aspectos. O primeiro relaciona-se com a união dos dois títulos – “Mestre” e “Senhor”. Jesus é o Senhor, bem como o Mestre, de seus discípulos. Isso confere ao título “Mestre” um peso que, talvez, nem sempre se lhe associe. Tem uma conotação um tanto parecida com “Mestre com Autoridade” – o mestre que tem o direito de exigir obediência de seus discípulos. Mostra por que um discípulo é mais que um aluno, no sentido de um mero ajuntador de informações, mas é, na verdade, alguém comprometido para aceitar e seguir o ensino de seu Mestre.

Além disso, essas declarações definem a relação do discípulo com o seu Mestre. Ele não só aprende com o Mestre; deve também ser imbuído do espírito de seu Mestre e imitar sua vida.

Essas implicações do discipulado são confirmadas novamente em João 13:34-35, em que Jesus disse: “Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.”

Os discípulos devem demonstrar o mesmo amor altruísta e despojado para com o próximo, como Jesus demonstrou para eles – aquele amor que o levou a se sacrificar na cruz. Quando as pessoas testemunham esse mesmo amor entre os discípulos, elas farão a ligação com Jesus e serão capazes de reconhecer que aqueles que têm tal amor devem ser seus discípulos. Assim, somos, mais uma vez, levados a concluir que o discipulado implica estarmos imbuídos do espírito do Mestre, seguindo-o.

Talvez alguma outra passagem de João contenha uma importante declaração sobre o discipulado, dependendo de como seja interpretada. Mas não me sinto seguro o bastante de ter entendido João 15:8 para comentá-lo. Então, apenas o registro aqui para sua ponderação.

Sinto praticamente o mesmo sobre Lucas 6:40. A dificuldade acha-se em encaixar este versículo no contexto. Mas parece dizer algo importante com respeito ao discipulado: “O discípulo não está acima do seu mestre; todo aquele, porém, que for bem instruído será como o seu mestre.”

A relação deste versículo com seu contexto merece mais reflexão do que, até agora, eu lhe dei. Estarei bem fora para sugerir que a segunda parte do versículo apresenta o alvo do discipulado? Arndt e Gingrich traduzem assim: “Quando ele [o aluno] estiver completamente formado, será como seu mestre” (Léxico, 417b, sobre katartizo).

Ainda quero fazer a pergunta para sua meditação: essa declaração não sugere algo que pode ajudar as nossas atitudes em relação às outras pessoas? Ajudaria a evitar muita arrogância e justiça própria se nos lembrássemos de que não somos o mestre. Somos os discípulos. Quando estivermos aperfeiçoados, seremos como o Mestre. Mas ainda não chegamos lá. Veja o contexto seguinte com respeito ao argueiro e à trave. Talvez possamos ser mais eficazes em levar outras pessoas ao conhecimento do Senhor se demonstrarmos mais humildade.

No próximo artigo, retornaremos a Mateus 28:19 para tratarmos do processo pelo qual os discípulos são produzidos. Depois vou voltar para o livro de Atos e fazer algumas reflexões sobre os resultados que os apóstolos conseguiram ao pôr em prática as ordens que Jesus lhes deu.

por L. A. Mott. Jr.


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA