Share Button

"Senhor, ensina-nos a orar" (18º de 24 artigos)
Santificado Seja o teu Nome

Jesus começa o modelo de oração dirigindo-se ao "Pai nosso…" Esta palavra de carinho salienta a relação íntima que podemos ter com Deus. Entretanto, na frase seguinte, "santificado seja o teu nome", Jesus ressalta a separação entre Deus e nós, em santidade, glória e pessoa.

Note como as primeiras expressões desta oração mantêm uma relação estreita com os primeiros três dos dez mandamentos. Moisés começa com a condenação da corrupção da exaltada posição de Deus com falsos deuses, ídolos e uso do nome de Deus em vão. Jesus começa com uma afirmação da unicidade de Deus no universo e em nossas vidas. Com este conceito firme em nossas mentes, jamais corromperemos quem Deus é.

"Santificado seja…"

Lenski define o termo "santificar" como "separar de tudo o que é comum e profano, estimar, prezar, honrar, reverenciar e adorar como divino e infinitamente abençoado". Com este início, não estamos dizendo a Deus algo que ele ainda não sabe. Estamos reconhecendo a veracidade do santo ser de Deus. Estamos expressando nossa admiração e louvor pela grandeza de Deus. Estamos necessariamente contrastando o nome de Deus com todos os outros. É o seu nome que separamos. Não pomos nenhum outro em seu nível.

Quando oramos, não estamos tendo uma conversa informal com um colega igual a nós. Ainda que nossas orações tenham que refletir a bem íntima relação que temos desenvolvido com Deus, precisamos sempre reconhecer que estamos nos aproximando de um ser muito poderoso, santo e justo, somente por causa do acesso possibilitado pelo sangue de Cristo.

"…teu nome"

No Velho Testamento, os judeus receberam um nome especial para Deus. Em Êxodo 3:13-14, Moisés disse que os filhos de Israel perguntariam a respeito do Deus que o enviou: "Qual é o seu nome?" Deus mandou Moisés dizer-lhes, "Eu Sou me enviou a vós outros". A palavra traduzida como "Senhor" ("Jeová") vem da palavra-raiz para "Eu Sou". Portanto, no sistema mosaico, um certo "nome" foi usado para Deus. Eles não poderiam usar este nome de nenhum modo vão (Levítico 24:16). Aparentemente, os judeus estavam tão temerosos de usarem o nome de Deus em vão que a pronúncia deste nome foi perdida. Ainda que eles tomassem grande cuidado no uso do nome de Deus, é claro que seu respeito pelo próprio Deus deixou a desejar. Através de Malaquias, Deus contrastou esta falta de reverência do povo judeu dos seus dias com a atitude que deveria prevalecer na nova aliança: "Mas, desde o nascente do sol até ao poente, é grande entre as nações o meu nome; e em todo lugar lhe é queimado incenso e trazidas ofertas puras, porque o meu nome é grande entre as nações, diz o Senhor dos Exércitos" (1:11).

Neste modelo de oração, a ênfase de Jesus não está em separar uma designação específica para Deus, e sim, em nossa atitude para com a natureza e a pessoa de Deus. A pessoa de Deus não pode se limitar a um determinado nome mais do que sua presença pode permanecer num templo feito com as mãos.

É preciso notar, contudo, que os judeus foram hipócritas mostrando grande respeito pelo nome especial de Deus, mas pouco pelo próprio Deus. Podemos fazer o mesmo, dizendo que respeitamos a Deus, mas então usando seu nome em vão. As pessoas que usam os termos "Senhor" e "Deus" sem nenhum pensamento em Deus não estão santificando seu nome. Alguns dizem: "Pelo amor de Deus!" ou "Ai meu Deus" sem qualquer súplica sincera pela ajuda de Deus. Isto é vazio, indigno e, portanto, torna profano o que é santo. É errado!

Conclusão

"Santificado seja o teu nome" deve ser uma expressão substancial do coração e não um mero código de acesso para ganhar entrada na presença de Deus. De fato, no contexto próximo de Mateus 6, Jesus está fazendo um contraste. Ele está dizendo ao povo que não "digam todas as coisas certas" para serem vistos pelos homens. Em vez disso, temos que nos aproximar sinceramente de Deus, de coração, com nossas petições e agradecimentos, para sermos ouvidos por ele. Jesus nos mostra que precisamos começar tornando claro que sabemos quem é a criatura e quem o Criador.

Aproximamo-nos de Deus com reconhecimento de sua grandeza? Diga-lhe isso!

-por Jeff Archer

Leia mais sobre este assunto:
Senhor, Ensina-nos a Orar

A Santidade de Deus

Senhor, Ensina-nos a Orar

Quando a oração é abominável

Orações Sem Resposta

Ouvir para Ser Ouvido!

A Gratidão

Máquinas de Venda


 

ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA