Share Button

Deus exige arrependimento

Em seu discurso ateniense, Paulo disse, "Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam" (Atos 17:30). Poucas coisas são mais necessárias em nossa cultura do que uma profunda consciência da necessidade do homem se arrepender diante de Deus.

O homem moderno tende a um ponto de vista deste mundo, com pouco reconhecimento da realidade sobrenatural de Deus nos assuntos práticos desta vida. O conceito de um Deus pessoal é amplamente irrelevante para as preocupações do dia-a-dia do indivíduo médio.

Ainda menos ele admite, para qualquer propósito prático, sua responsabilidade para com a vontade real, objetiva, do seu Criador. A noção de pecado toca-o antes como curiosidade, e a idéia do arrependimento como uma velharia. O homem moderno não mais acredita em ter pecados reais, dos quais ele precise arrepender-se, do que acredita que sangrio seja um procedimento médico.

Ironicamente, a cultura moderna rejeita a realidade do pecado e a necessidade de arrependimento porque ela se vê como "iluminada". Na verdade, contudo, a sociedade que não tem senso real destas coisas mostra ser relativamente menos iluminada do que outras.

Quando o apóstolo Paulo teve sua oportunidade de apresentar o evangelho de Cristo em Atenas, a sede da cultura antiga e a cidade cujo nome era sinônimo de sofisticação filosófica, ele disse que os atenienses tinham praticado sua idolatria durante "tempos de ignorância", não de "iluminismo". O homiliasta inglês W. Clarkson comenta isto com razão: "Nenhuma arte, nenhuma filosofia, nenhuma ciência, nenhuma literatura, nenhuma conquista, nenhum avanço de qualquer tipo que seja compensará a ignorância de Deus; a alma que não o conhece é um homem ignorante; o tempo que não o conhece é uma era ignorante." Como Salomão argumentou, "O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria" (Provérbios 9:10).

O evangelho é, na verdade, alegres notícias da graciosa salvação de Deus, mas é mais do que anúncio de boas novas. É somente de boas novas para aqueles que responderão obedientemente ao anúncio. E o arrependimento é uma parte importante da resposta exigida. Para aqueles do Pentecostes que perguntaram o que deveriam fazer para receber o perdão de seus pecados, Pedro respondeu que, "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo" (Atos 2:38). Mais tarde, Paulo escreveu que Cristo voltará no dia do julgamento "em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus" (2 Tessalonicenses 1:8).

O mandamento para arrepender implica não somente em que o homem precisa mudar seus modos, mas pode fazer isso. A maioria de nós perde tempo precioso analisando, raciocinando, e rebuscando a psicologia de nosso comportamento. Conforme o psiquiatra Jacob Conn escreve, "Muitos de nós, com deficiências, estamos interessados em perguntar como isso começa? Poucos se perguntam por que continuo com isso?" Não importa de onde nossos vários maus comportamentos vieram, Deus sabe que os temos dentro de nós para mudar. E ele ordena conseqüentemente o arrependimento.

Para o homem moderno, a coisa central sobre o arrependimento que precisa ser conhecida é esta: devemos afastar-nos de nossas maldades pelo motivo essencial que elas são pecados contra Deus. Pode ser que violemos normas sociais ou acreditemos em modos que são psicologicamente doentios, mas a coisa de longe pior sobre nossos erros é a sua afronta a nosso Pai Celestial. Depois de seu pecado com Bate-Seba, Davi teve a integridade de orar a Deus, "Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos" (Salmo 51:3-4). O auto-aperfeiçoamento é bom, até onde pode ir. Mas sem a confissão honesta que temos pecado contra Deus, o auto-aperfeiçoamento não é o mesmo que o arrependimento. E é arrependimento o que Deus ordena.

-por Gary Henry

Leia mais sobre este assunto:
O Problema do Pecado

Salvação Sem Arrependimento?

Oséias e o Arrependimento

Davi e Bate-Seba O pecado de Adultério

O Que Significa Perdoar?

Lidando com o pecado Saul e Davi: um estudo de caso

A paciência de Deus: um aspecto importante do seu amor


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA