Share Button

Senhor, ensina-nos a orar" (13º de 24 artigos)
O Amigo à Meia-noite

(Lucas 11:5-13)

Os seres humanos raramente persistem nas atividades que eles chegam a acreditar que sejam fúteis. Quantas vezes você conheceu pessoas que simplesmente abandonaram os negócios de vendas ou instrução superior,quando se convenceram de que seus esforços eram inadequados ou que a tarefa era irrelevante para seu futuro e suas metas? A oração é, frequentemente, tratada deste modo pelos cristãos, tanto por impaciência como por impressão de que Deus possa não estar ouvindo. Este não é um problema novo. Em 1 Tessalonicenses 5:17, Paulo disse aos novos convertidos de Tessalônica para "orar sem cessar", ou seja: "Não parem de orar"! Este conselho teria sido certamente sem valor se não houvesse uma tendência frequente da parte dos cristãos a perder a fé na oração.

Em Lucas 11:1, Jesus responde ao pedido: "Senhor, ensina-nos a orar", instruindo seus discípulos nos elementos da oração apropriada, pelo modelo de oração que ele dá (11:2-4), e também na importância da fé na oração bíblica, pela parábola do amigo a meia-noite, que se segue (11:5-13). Nesta parábola, um homem é surpreendido na calada da noite por um hóspede inesperado e está embaraçado por não ter nada para alimentá-lo. Para cumprir esta exigência da hospitalidade do Oriente Médio, ele vai ao seu amigo vizinho, à meia-noite, pedindo três pães. A resposta é abrupta e insensível: "Não me importunes; a porta já está fechada, e os meus filhos comigo também já estão deitados. Não posso levantar-me para tos dar" (Lucas 11:7). A reação do suplicante, contudo, é insistir, sem se acanhar, até que seu "amigo" veja que há menos inconveniência em honrar o pedido do que continuar uma discussão a essa hora da noite. A moral da história, indicada no versículo oito, é que a "persistência" ou a "falta de acanhamento" do hospedeiro embaraçado conseguiu seu objetivo numa situação em que os laços de amizade e de afinidade mostraram-se ineficazes. Portanto, a aplicação da parábola é para encorajar a persistência e a fé esperançosa na oração. "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á" (Lucas 11:9-10).

É importante reconhecer que esta parábola é simplesmente ilustrativa, e não simbólica, pois Deus não é certamente um amigo insensível e de má vontade e ele não nos vê como vizinhos importunos, desavergonhados. O argumento, então, raciocina do menor para o maior, do pior para o melhor. Se verdadeiramente somos amados de Deus em vez de desprezados e se ele está ansioso antes que hesitante para ouvir nossos pedidos, por que a fidelidade na oração não produziria, não somente um ouvido atento, mas uma boa vontade em dar tudo o que pedimos que for consistente com sua sabedoria divina?

Jesus completa suas instruções em Lucas 11 sobre a fidelidade na oração indo além da certeza de que Deus ouve a oração de seu filho, a uma concentração no objeto da súplica. Enquanto há, certamente, exemplos de abusos cometidos contra crianças em volta de nós, a maioria das pessoas, não importa se são más, não dão intencionalmente aos seus filhos presentes perigosos. "Se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espirito Santo àqueles que lho pedirem?" (Lucas 11:13). De novo, o argumento é feito contrastando o pior com o melhor. Se podemos confiar nos humanos para fazerem a coisa certa pela razão errada ou por causa da "afeição natural" por seus filhos, não podemos ser absolutamente confiantes em que Deus, que é mais do que apenas um amigo e pai, tanto ouvirá como dará suas melhores dádivas (seu Filho e a influência de seu Espírito) àqueles que lhe imploram persistente e fielmente?

O receber a mensagem de Lucas 11 no coração certamente fará com que não mais duvidemos dele. O Todo-Poderoso ouvirá, atenderá, e responderá abundantemente de acordo com nossos melhores interesses. O desafio da fidelidade na oração fica conosco.

"Quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?" (Lucas 18:8).

-por Curtis Pope

Leia mais sobre este assunto:
Senhor, Ensina-nos a Orar


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA