Senhor, ensina-nos a orar" (6º de 24 artigos)
As exortações a orar dadas por nosso Senhor

Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41) é apenas uma das exortações do nosso Senhor a orar. Dizer que Jesus nos exorta a orar é dizer que ele nos encoraja e nos convida a orar.

Você acha alguma coisa de inusitado no fato de Jesus ter que encorajar seus discípulos a orar? Que ele tem que convidar e implorar para que participem da comunhão com o Pai celestial? Depois de tudo, para muitos de nós, é preciso muito pouco encorajamento para levar-nos a fazer as coisas de que gostamos.

Eu gosto de golfe. Em conseqüência, não é preciso nenhum encorajamento para me fazer ir jogar. É só me fazer um convite, dar-me um pouco de dinheiro e um bocado de bolas de golfe e estarei jogando dentro de uma hora! Há outras coisas de que gostamos que não exigem encorajamento para levar-nos a fazê-las. Sendo isto verdade, eu me pergunto: por que Cristo tem que nos encorajar a orar? Por que precisamos ser encorajados a participar de uma coisa tão boa, e tão boa para nós? Gostaria de sugerir três razões por que nosso Senhor tem que encorajar-nos a orar.

Œ Nosso amor por Deus ainda não é o que deveria ser. Quantas vezes você negligencia no falar com as pessoas que ama? Um dia se passou, desde a última vez em que você disse a sua esposa ou a seus filhos que você os ama? A verdade é que falamos com os que amamos de modo regular, se não diariamente. Estará o Pai celestial entre estes amados? Está ele no alto da lista? Tristemente, para muitos cristãos, o tempo passado em oração ao Pai não é uma atividade de que gostem! Assim, precisamos que nosso Senhor Jesus nos exorte e encoraje a orar!

Ouça Jesus nos exortar a orar deste modo: "Pai nosso, que estás nos céus..." (Mateus 6:9). Ouça-o encorajar de novo: "Quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem" (Mateus 7:11). A realidade que Deus é nosso Pai celestial deve nos comover e criar um desejo dentro de nós de falar com ele. Assim, Pedro acrescenta "lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós" (1 Pedro 5:7). Aceitaremos a exortação a orar ao "Pai nosso, que estás no céu"?

 Às vezes temos a idéia de que não precisamos orar! Qualquer número de equívocos poderia explicar como temos esta idéia. Talvez pensemos que não seremos ouvidos ou atendidos quando oramos. Para isto Jesus exortaria: "Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa" (João 16:24).

Ou, talvez, pensemos que somos bastante fortes, sem gastar muito tempo em oração. Quando pensamos assim, não somos os primeiros discípulos a fazer isso. Na noite da traição e prisão de Jesus, ele tinha advertido os seus discípulos de que eles o negariam e o abandonariam. Os discípulos não queriam nem ouvir tal coisa, e prometeram fidelidade a Cristo até o último homem (Mateus 26:31-35). Contudo, quando os discípulos pensavam que não poderiam cair, ouviram Jesus implorar-lhes: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41).

Quando pensamos que estamos muito ocupados, muito cansados, muito importantes, ou muito fortes para orar é quando precisamos dar ouvidos à exortação a "vigiar e orar"!

Ž  A oração nos faz sentir constrangidos! Por quê? Porque, quando oramos, tudo conosco é desnudado. Não pode haver nem encobrimento, nem poses, nem charadas; não quando oramos! Porque então, como em nenhum outro momento, vemos nosso eu verdadeiro. Vemos o bom, o mau e o feio em nós mesmos, porque sabemos que Deus os vê. Ele vê nossos pecados, nossas fraquezas, nossa negligência e nossa hipocrisia. Para dizer o mínimo, esta consciência nos deixa constrangidos. Para dizer o máximo, ela nos faz sentir que estamos contaminando terreno sagrado e que certamente somos indignos de estar na sua presença.

O que Cristo nos diz quando nos sentimos assim? Que palavra de exortação ele dá para encorajar seus discípulos que estão temerosos de se aproximar ao trono do Pai? Primeiro, ele exige que estejamos nele e que sua palavra esteja em nós (João 15:1-8). Então, nosso Senhor, através de sua palavra, responderá a nossos temores, esclarecerá nossos mal-entendidos, removerá nossas dúvidas, repreenderá nossas negligências e criará um anseio por nosso Pai, dentro de nós.

Mais do que tudo, Jesus convida-nos a orar e nos chama para perto do trono do Pai, dizendo-nos que não temos que ir sós! Nele, por ele e com ele podemos aproximar-nos do trono da graça com confiança (Hebreus 4:16). Deveria-nos confortar e nos fortalecer em oração saber que nosso Senhor vive sempre para interceder por nós (Hebreus 7:25). Poderia Jesus oferecer maior incentivo a orar do que sua promessa de nos encontrar e nos ajudar no trono do Pai?

Avante! Aproxime-se e ore fervorosamente, derramando seu coração em Deus. "Buscai e achareis"!

Tim Murray


 

ESTUDOS BÍBLICOS     PESQUISAR NO SITE     MENSAGENS EM ÁUDIO    
MENSAGENS EM VÍDEO   
ESTUDOS TEXTUAIS    ANDANDO NA VERDADE  
O QUE ESTÁ ESCRITO?
  
O QUE A BIBLIA DIZ?

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©2014 Karl Hennecke, USA