Share Button

Agradecidos por nossos irmãos

A lgumas das palavras mais surpreendentes no Novo Testamento são  aquelas de Jesus sobre seus apóstolosem João 17. Por exemplo, "Eu   lhes fiz conhecer o teu nome e ainda o farei conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles esteja" (versículo 26).

Por que tais palavras são tão surpreendentes? Elas indicam um profundo agradecimento pelos homens fracos, vacilantes, que tinham dado a Jesus toda sorte de problemas com sua fé imatura.

Como poderia Jesus ser
agradecido por tais homens?

Chave nº 1. Ele era capaz de ver o bem dentro de cada um dos apóstolos, apesar da evidente fraqueza deles. Por este motivo, horríveis disparates apostólicos, tais como as palavras impulsivas de Pedro no monte da transfiguração, seu afundamento nas ondas, o ceticismo de Tomé e a briga infantil pela proeminência não encontraram o desgosto de Jesus, mas gentil, ainda que firme, repreensão. Para Jesus, os defeitos nos apóstolos não esconderam as boas qualidades deles. Asim, ele era capaz de ser sinceramente agradecido por aquelas qualidades que olhos frívolos e impacientes teriam descurado.

Chave nº 2. Ele deu tudo o que tinha para ajudá-los. É um fato surpreendente que sejamos mais agradecidos por aqueles por quem nos sacrificamos mais.

Minha esposa, Beverly, e eu tínhamos que abandonar nosso sono, preocupação com limpeza (fraldas sujas), tempo livre e inumeráveis outras pequenas bênçãos para cuidar da nossa filha Leah quando ela nasceu. Naquele tempo ela parecia dar em retribuição somente sessões matutinas de berreiro e fraldas sujas. Entretanto, parece que quanto mais tempo gastamos, olhos lacrimejantes às 3:00 horas da madrugada na cadeira de balanço, e quanto mais nos agitamos de outros modos por Leah e a irmã mais velha Rebeca, mais profundamente agradecidos somos por elas.

Como os sacrifícios dos pais por seus filhos aprofundam seu agradecimento por eles, assim os incompreensíveis sacrifícios que Jesus fez por seus apóstolos, seu esvaziamento de si mesmo (Filipenses 2) e milhares de horas de oração e ensinamento devem ter tornado possível para ele exprimir tal profundo agradecimento por eles, apesar, às vezes, de suas sérias faltas.

Como podemos ser mais
agradecidos por nossos irmãos?

Muito freqüentemente os irmãos são, no pior dos casos, uma fonte de intensa provocação ou, no melhor dos casos, pessoas com quem muito polidamente discutimos coisas insignificantes duas ou três vezes por semana. Como poderemos cultivar aquele amor fervente e a intimidade que produz tais sentimentos fortes de agradecimento como aqueles demonstrados por Jesus para com seus apóstolos?

Chave nº 1. Precisamos seguir o exemplo de Jesus e aprender a ver não somente as fraquezas dos irmãos, mas igualmente o bem. Às vezes a esquisitice que um irmão tem, a idéia estranha, ou a vez em que ele me ofendeu cinco anos atrás se tornam tão grandes em meu pensamento que posso ver pouca coisa boa nele, muito menos ter agradecimento por ele. Esta incapacidade de agüentar as deficiências em outros irmãos tem sido talvez o maior obstáculo à paz e crescimento no reino. Enquanto seitas que ressaltam a intimidade entre membros têm crescido rapidamente, mesmo com suas doutrinas difíceis de engolir, o crescimento entre irmãos verdadeiros tem sido freqüentemente tolhido por uma falta de amor acarretada por muito rosnado, mordida e latido um contra o outro que lembra um canil assanhado. Em tais deflagrações muito comuns, os irmãos parecem quase tão gratos uns aos outros como os iranianos aos iraquianos. E se admiram porque não crescem! Quando alguém toma qualquer fraqueza num irmão como se fosse um sinal de que ele decaiu da graça, é de se admirar que tais irmãos pareçam estar agachados em suas trincheiras, espiando suspeitosamente um ao outro enquanto emitem rosnados baixos e ameaçadores? Satanás ganhou muitas batalhas porque simplesmente descuramos o exemplo de Jesus, de paciência com seus apóstolos, apesar das deficiências deles.

Não me leve a mal. Jesus não ignorava as fraquezas nem participava do erro como alguns extremistas gostariam que fizéssemos. Mas nem ele tratou todas as faltas como se fossem sinais de desesperada depravação. A fraqueza nos cristãos sinceros precisa ser corrigida, mas com tempo, gentileza e paciência (2 Timóteo 2:24-25).

Chave nº 2. Precisamos dar-nos aos nossos irmãos. Você sente uma necessidade de ser mais agradecido por seus irmãos? Siga o exemplo de Jesus e dê-se para servi-los. Convide-os para o jantar ou a sobremesa em sua casa. Vá a um piquenique com eles ou saia para tomar sorvete depois do culto. Ore com eles, estude com eles, chore com eles e dê seu dinheiro a eles quando o necessitarem.

Infelizmente, freqüentemente não nos abrimos para nossos irmãos por causa da crescente importância dada à privacidade e à formalidade em nossa sociedade cada vez mais urbana. Alguns irmãos ficaram tão polidos uns com os outros que raramente pensariam em visitar um ao outro sem convite formal, porcelana fina e iguarias complicadas com nomes estrangeiros. Toda esta formalidade tende a limitar o todo importante contato fora dos cultos públicos. Afinal de contas, quem quer tirar da caixa os copos de cristal uma ou duas vezes por semana? Com menos dar e trocar há menos agradecimento de uns pelos outros; e com menos agradecimento, as igrejas ficam frias e mortas.

Os cristãos precisam partir a concha da timidez que a formalidade urbana tem produzido para que possam dar livremente de si uns aos outros com confiança e abertamente. Quando os irmãos compartilham nossas casas, nossas atividades e nossos corações, então podemos aprender a ser verdadeiramente agradecidos por eles.
   
Conclusão

Omundo é demasiado mau para ser enfrentado sem esta íntima relação de irmandade que Deus nos deu. Veja aqueles que estão combatendo o mal ao seu lado. Você precisa deles e eles precisam de você! Lembre-se das chaves para o agradecimento de Jesus pelos seus apóstolos e seja agradecido por seus irmãos, mesmo se eles tiverem alguma fraqueza. Lute contra Satanás com eles, lute por eles e vá para o céu com eles.

- por Gardner Hall


ESTUDOS BÍBLICOS       PESQUISAR NO SITE       MENSAGENS EM ÁUDIO      MENSAGENS EM VÍDEO     

ESTUDOS TEXTUAIS      ANDANDO NA VERDADE     O QUE ESTÁ ESCRITO?      O QUE A BIBLIA DIZ?

 

O Que Esta Escrito?
 
©1994, ©1995, ©1996, ©1997, ©1998, ©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008, ©2009
 Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970.

Andando na Verdade
©1999, ©2000, ©2001, ©2002, ©2003, ©2004, ©2005, ©2006, ©2007, ©2008
Redator: Dennis Allan, C.P. 60804, São Paulo, SP, 05786-970

Todos os artigos no site usados com permissão dos seus autores e editoras, que retêm direitos autorais sobre seu próprio trabalho. / 
All of the articles on this site are used with permission of their authors and publishers, who retain rights of use and copyright control over their own work.

Estudos Bíblicos
estudosdabiblia.net
©1995-2015 Karl Hennecke, USA